domingo, 17 de abril de 2022

No sétimo céu

FC Porto goleou o Portimonense (7-0) com Mehdi Taremi a calar os críticos e a assinar um hat-trick

Os quase 50 mil portistas que encheram o Estádio do Dragão tiveram um sábado de Páscoa inesquecível. Na recepção ao Portimonense, relativa à ronda 30 do campeonato - a 58ª consecutiva em que se manteve invicto -, o FC Porto marcou sete golos contra onze adversários, não sofreu nenhum e dilatou para nove pontos a vantagem sobre o mais direto perseguidor em vésperas de dérbi lisboeta. Mehdi Taremi, autor de mais uma excelente exibição e de mais um hat-trick, foi a grande figura da noite para gáudio dos azuis e brancos e desespero dos algarvios (e não só). 

Com Evanilson no lugar de João Mário como a única novidade em relação ao onze que havia vencido em Guimarães, a toada do encontro ficou definida desde bem cedo. Desde o primeiro aviso de Fábio Vieira - logo ao terceiro minuto - até ao 1-0, o FC Porto teve a bola em praticamente 80 por cento do tempo e encostou o Portimonense às cordas até quebrar a barreira defensiva algarvia na sequência de um contra-ataque conduzido pelo corredor central que acabou nos pés do camisola 50. Sobre a esquerda, Fábio assistiu Taremi para o iraniano rodar, marcar e festejar em grande estilo. Antes da meia hora, e após canto que originou confusão na pequena área, Marko Grujic não se fez rogado na hora de dobrar a vantagem (2-0).

Cinco minutos volvidos, Otávio é carregado em falta pelas costas em zona proibida. Chamado à marca dos onze metros, Taremi apontou ao meio da baliza para bisar. A jogada do 4-0 surgiu pouco depois e foi um hino ao futebol: saída a construir desde trás, grande envolvimento coletivo a subir no terreno e estreia a marcar da aposta de Sérgio Conceição deste sábado.

Já sem Otávio (em risco de suspensão caso visse cartão amarelo) e Zaidu, rendidos por Francisco Conceição e Wendell, a segunda parte arrancou com o hat-trick de Mehdi Taremi a calar os críticos e a mostrar, mais uma vez, os dotes que fazem dele um dos grandes avançados da Europa do futebol. O sexto golo da noite saiu do laboratório do Olival e teve assinatura do capitão. Imperial nas alturas, Pepe disse “sim” à bola e colocou-a no poste mais distante antes de dedicar o tento a Eduardo Braga, membro do corpo clínico portista que perdeu o pai recentemente.

A contagem viria a ficar fechada perto da hora de jogo num lance de insistência que Evanilson concluiu mas que, pelo meio, ainda passou pelo pé direito de um iraniano, pelo ferro forasteiro e pela canhota do camisola dez.

Com um terço da partida para jogar, Sérgio Conceição esgotou as alterações e deu oportunidade a Fábio Cardoso, Eustaquio e Toni Martínez de somarem minutos nas posições então ocupadas por Pepe, Vítor Ferreira e Mehdi Taremi.

Garantida a 26ª participação na Liga dos Campeões, segue-se a segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal (quinta-feira, 20h15).

Título e Texto: FC Porto, 16-4-2022, 22h28

Um comentário:

  1. "Quatro dias depois de ter saído de Anfield Road de cabeça erguida, o Benfica reforçou em Alvalade um ego quase sempre fragilizado nesta época. Num clássico em que a responsabilidade estava toda do lado do Sporting, os “encarnados” entraram melhor e voltaram a ter em Darwin Núñez a sua principal figura: com um golo e uma assistência do uruguaio para Gil Dias, o Benfica venceu, por 0-2. Com este resultado, as “águias” mantêm hipóteses de chegarem ao segundo lugar – estão a seis pontos dos “leões” – e deixam o título do FC Porto preso por formalismos: os “dragões” precisam apenas de quatro pontos para serem campeões."
    Público, 18-4-2022

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-