domingo, 10 de julho de 2022

Alma arrendada

Prefeito Paes declara apoio ao candidato que o Paes deputado queria prender

Augusto Nunes

Entre julho de 2005 e agosto de 2006, o deputado federal Eduardo Paes [foto], então filiado ao PSDB fluminense, foi um dos mais ativos integrantes da CPI do Congresso que apurou o escândalo do mensalão.

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Confira três declarações:

É preciso investigar o inexplicável crescimento do patrimônio dos filhos do presidente”.

“Lula sabe de tudo. A sede da quadrilha do mensalão é o Palácio do Planalto”.

“Comprovamos o mensalão com cópia de recibo e tudo. Como é que o Lula ainda tem coragem de negar?

Durante a campanha eleitoral de 2008, depois de ter mendigado o apoio de Lula e implorado o perdão de Marisa Letícia por ter dito o que dissera sobre a Primeira Família, a nova versão de Eduardo Paes começou a deixar claro que vendera a alma para virar prefeito do Rio pelo PMDB. Confira cinco declarações:

A gente tem que ter muita calma antes de sair apontando o dedo para as pessoas”.

“Pedir desculpas pelos erros cometidos não envergonha ninguém”.

“Reconheço que exagerei nos trabalhos da CPI. Fiz acusações sem consistência e denúncias sem fundamento”.

“É uma honra estar ao lado do grande governador Sérgio Cabral e do maior presidente que este país já teve”.

“Não falo sobre o mensalão”.

Neste domingo, 10, em seu terceiro mandato, o convertido agora homiziado no PSD resolveu miar sobre assuntos nacionais:

Acho que o Brasil teve uma grande alegria de ter tido Lula como presidente da República. Aliás, a gente um dia vai parar, a história vai parar, e vamos pensar que honra ter tido Lula presidente do Brasil. Aproveito para revelar o meu voto. Vou votar em Lula para presidente”, disse Paes.

O Brasil sabia faz tempo que Paes governa de joelhos. Descobriu agora que o prefeito também aprendeu a dar entrevistas rastejando.

Título e Texto: Augusto Nunes, Revista Oeste, 10-7-2022, 13h32

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-