terça-feira, 19 de julho de 2022

[Livros & Leituras] O mistério do capital

"O momento triunfante do capitalismo é seu momento de crise."

Em O Mistério do Capital, o economista Hernando de Soto revoluciona o conceito do que é o capital, mostrando como o capitalismo continua ineficiente na maior parte do mundo, mesmo depois da queda do comunismo. A resposta do economista para o problema é clara e original.

O autor e sua equipe de pesquisadores decidiram sair às ruas dos países em desenvolvimento e dos que deixaram o comunismo, para descobrir o porquê das crises econômicas. Suas descobertas são dramáticas. Esses países acumularam ativos suficientes para um capitalismo bem-sucedido, e o valor dessas economias é muitas vezes equivalente aos investimentos estrangeiros recebidos desde 1945. Qual é, então, o motivo da pobreza e do subdesenvolvimento? Eis o mistério do capital - não conhecer os processos de conversão de ativos em capital líquido é o grande obstáculo para o desenvolvimento. Para o economista peruano, possuir propriedade é uma das chaves para dar fim à pobreza - porém, esta premissa só se torna verdadeira se a mesma propriedade for utilizada para gerar sucessivas riquezas. O capitalismo não fracassou no mundo em desenvolvimento devido a diferenças culturais, religião ou ao ócio. Ao contrário, estes países vivem do trabalho duro de pessoas sagazes de espírito e de iniciativas empreendedoras. Onde está o problema, afinal?

Segundo De Soto, os ativos da população oprimida e trabalhadora - casas, terras e propriedades - são parte de uma economia negra. Estão fora dos padrões legais estabelecidos nos direitos de propriedade e, portanto, são ativos inúteis para gerar riqueza adicional. Nos países desenvolvidos, uma casa não é apenas um lugar para se viver com quatro paredes e um teto, possui também uma existência paralela como produtora de capital.

No mundo em desenvolvimento, onde os direitos de propriedade não estão devidamente documentados, os ativos não podem ser negociados fora dos círculos pessoais e familiares, não podem ser usados como garantia para um empréstimo, nem oferecidos como participação em um investimento. Para ter uma ideia desta riqueza oculta, basta visualizar a estimativa feita pelo jornalista Élio Gaspari: suponhamos que sejam sete milhões as casas construídas em terrenos sem titulação no Brasil, e que cada uma delas valha, em média, US$ 3 mil. Temos um total é de US$ 21 bilhões, ou até mais.

Em poucas palavras, De Soto explica em O Mistério do Capital por que e como o capital é a essência do capitalismo e mostra que apenas 25 dos 200 países do mundo produzem capital em quantidade suficiente, beneficiando-se da divisão de trabalho em amplos mercados globais.

O Mistério do Capital é um livro de relevância internacional, que oferece uma proposta construtiva para levarmos os benefícios do capitalismo àqueles até hoje considerados suas vítimas.

"O Mistério do Capital está levando os especialistas a colocá-lo no Olimpo dos grandes intelectuais progressistas do nosso tempo, junto a figuras como Anthony Giddens e Amartya Sen."
New Statesman

"De Soto vem fomentando sozinho uma revolução no Terceiro Mundo... O Mistério do Capital constitui uma das poucas abordagens novas e de fato promissoras, depois de muito tempo, visando à superação da pobreza."
Francis Fukuyama, autor de O fim da História e o último homem

"Fascinante. Depois de ler este livro, será difícil não sentir esperança sobre o que pode ser realizado em países pobres."
The Economist

"O Mistério do Capital tem o potencial de criar uma nova e extremamente benéfica revolução, pois trata da principal causa do fracasso no Terceiro Mundo e nos países antes comunistas: a falta de uma legislação normativa que apoie a propriedade privada e promova a iniciativa empresarial. Devia ser leitura compulsória para todos no comando da riqueza das nações.”
Margaret Thatcher

O mistério do capital tem uma tese poderosa. (…) É um livro muito importante.”
The Washington Post

Recomendo a leitura. 











Anteriores:

A mentalidade muçulmana 
O homem eterno, de G. K. Chesterton 
Em busca de sentido, de Victor E. Frankl 
Conflito de Visões – Origens Ideológicas das Lutas Políticas 
Amor de Perdição 
As telas digitais formam uma “fábrica de cretinos”? 
Por ladrar noutra coisa – Diário de uma bitch 
Enquanto a Europa dormia 
Didier Lemaire: sous le régime de la terreur 
[Livros & Leituras] Poder Global e Religião Universal - Juan Claudio Sanahuja 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-