sábado, 23 de julho de 2022

[Pernoitar, comer e beber fora] Café Almada, de novo

Foi na noite de São João que lá estivemos, o casal LT/CF e eu.

Fomos, modo de “completar os nossos tanques” para a longa noite que começava…

A alheira com o ovinho em cima continua bem saborosa. Custa, agora, cinco euros.


E a picanha, por seis euros, é melhor do que muitas que por aí são oferecidas por dezenas de euros.
Experimente, e depois diga o que achou, valeu?

O vinho, indicado pelo Sérgio, muito bom! Nove dinheirinhos a garrafa. Pagamos dezoito. 😊😊

Sérgio nos informou o fim do “Le chien qui fume”, restaurante que ficava na Rua do Almada, por uns oitenta anos, se não cem. O proprietário vendeu o imóvel.

Registro que foi o Le chien qui fume, na frente do qual passei duas vezes, diariamente, durante os anos letivos 1965/1966 e 1966/1967, que foi a inspiração do nome deste nosso blogue.

Ah, o Café Almada agora aceita pagamento com cartão!


Relacionados: 
Voltei ao Café Almada: Picanha à Brasileira 
Café Almada, Porto

Anteriores: 
Cachorrinhos da Gazela 
Retiro do Capitanga, de novo!
Hippopotamus, o da Gare du Nord 
[Pernoitar, comer e beber fora] Le Léon de Bruxelles, que não é mais de Bruxelas…
La Maison de Verlaine 
“Retiro do Capitanga” é bem retirado

Um comentário:

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-