quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Revelado jovem que atirou ídolo Pachamama no Tibre

LifeSiteNews

O homem que atirou a infame estátua de Pachamama no Rio Tibre revelou sua identidade hoje. Em vídeo ele explica sua motivação para ter retirado o “ídolo pagão” da igreja de Santa Maria em Transpontina, perto do Vaticano, no mês passado.


Alexander Tschugguel, 26, de Viena, Áustria, conversou com o co-fundador do LifeSite, John-Henry Westen, dizendo-lhe: “para mim, foi algo realmente ruim, porque vi naquelas estátuas e naqueles ídolos… uma violação ao Primeiro Mandamento.” Ele diz que foi motivado simplesmente pelo desejo de “retirar objetos pagãos de uma igreja católica.”

Tschugguel converteu-se do luteranismo há 10 anos e estava em Roma cobrindo o Sínodo da Amazônia. Ele contou à LifeSite que consultara um sacerdote e rezara muitos rosários junto com sua esposa antes de levar a cabo seu plano. Ele disse que “a preparação espiritual foi fundamental”.

Ao chegar à igreja, percebeu que ela ainda estava fechada. Decidiu rezar o rosário do lado de fora e a porta foi destrancada pouco tempo depois; entrou assim que abriram. Ele afirmou que não estava preocupado com as consequências ou com a possibilidade de as coisas não saírem conforme planejado.

“Se ficarmos sempre pensando sobre o que acontecerá depois, e se ficarmos sempre pensando dessa maneira, nunca faremos nada.” Se alguma coisa ruim estiver acontecendo em uma igreja católica, “precisamos agir,” ele disse. “Seja lá o que acontecer, não poderá ser tão ruim assim.” A “pior coisa” que pode acontecer é não irmos para o Céu.

Assista abaixo ao vídeo com a declaração dele sobre a razão de ter retirado a estátua:


Tschugguel, que é ativo no Twitter, fundou o Instituto São Bonifácio, uma organização de leigos católicos que deseja que a Igreja viva sua doutrina tradicional. “Não vamos mais ficar calados,” ele disse. São Bonifácio foi um monge do século VIII, talvez mais conhecido por cortar um carvalho venerado pelos pagãos alemães.

Tschugguel diz que retirou a estátua não por um desejo de ofender alguém, mas porque deseja que os próprios povos da Amazônia “tenham a verdade de Cristo” e não algum tipo de “escárnio da religião cristã.” Ele negou estar tentando chamar a atenção para si de alguma maneira, mas admitiu que “é fantástico ver” as muitas vozes de apoio que surgiram desde que seu vídeo foi publicado, especialmente por parte do clero. No momento, mais de 20.000 assinaturas foram acrescentadas à petição da LifeSite apoiando a retirada de símbolos pagãos de propriedades do Vaticano.

Tschugguel disse à LifeSite que todos os católicos têm o dever de respeitar as pessoas e que de maneira alguma ele odeia o Papa Francisco, como alguns alegaram. “É nosso dever rezar pelo papa, apoiá-lo e respeitar a sua autoridade,” ele disse. “Por que rezaríamos por ele se o odiássemos?”

“Por favor, Santo Padre,” ele prosseguiu, “entenda o seguinte: como católicos, não queremos objetos pagãos na Igreja Católica. Queremos que as nossas igrejas sejam limpas e puras no que tange a fé e queremos que a Igreja siga Jesus Cristo, simples assim.”

Tschugguel disse que rejeita a ideia de ter cometido um furto, uma vez que os objetos eram “ídolos pagãos” que não pertenciam a uma igreja católica. “Eu enfrentarei quaisquer desafios judiciais da mesma maneira, calmo… Não estou amedrontado. Realmente não estou com medo.” Ele também disse ter outros vídeos e fotos que comprovam sua autoria da ação.

Tschugguel disse que o Sínodo fez com que se sentisse “muito decepcionado.” Foi “uma grande amálgama de ideais erradas… justiça social… teologia da libertação”. O Sínodo também “anda de mãos dadas com a agenda globalista.”

Ao ser indagado sobre o tipo de conselho que ele daria aos jovens católicos, Tschugguel disse que estes devem frequentar a igreja católica tradicional local, rezar “toneladas” de rosários, e depois estudar a fé, para que sejam capazes de defendê-la em público. Ele também recomendou que se se dirigissem às suas famílias, amigos, grupos pró-vidas próximos, e que fizessem suas vozes serem ouvidas. Se alguma coisa “não for católica, falem claramente!…Somos parte da batalha entre o Reino de Deus e o reinado de Satanás.”
Título e Texto: LifeSiteNews; Tradução: Fratres In Unum.com, 4-11-2019

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-