segunda-feira, 1 de março de 2021

Bezos ataca novamente: Amazon bane documentário sobre juiz negro conservador

No “Mês da História Negra”, Big Tech de Jeff Bezos apaga história de juiz negro Clarence Thomas por discordância política

Leonardo Trielli

A Amazon retirou de seu serviço de streaming o documentário sobre o juiz da Suprema Corte Americana Clarence Thomas (foto). O juiz Clarence Thomas é negro.

O banimento do documentário aconteceu em fevereiro, justamente no Black History Month (Mês da História Negra) e a única explicação para isto é o fato de Thomas ser declaradamente conservador.

Em 1976 o governo dos EUA oficializou a celebração do Black History Month e desde então, anualmente, a história de negros americanos é relembrada e festejada na América.

Semanas atrás, a Amazon também baniu o livro When Harry Becomes Sally, do pesquisador Ryan Anderson, simplesmente por contestar o movimento transgênero baseado em estudos psicológicos, biológicos e filosóficos.

Sobre o livro, a Big Tech de Jeff Bezos explicou que havia ocorrido um erro e que o livro não deveria ter sido tirado do catálogo, mas até o momento, o “erro” não foi corrigido.

Em relação ao documentário de Clarence Thomas, eles ainda não se pronunciaram.

Título e Texto: Leonardo Trielli, (Com informações de Breitbart News The Federalist.), Senso Incomum, 1-3-2021

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-