sábado, 18 de dezembro de 2021

ITA, companhia aérea da Itapemirim, suspende as operações ‘temporariamente’

Segundo a empresa, a decisão foi tomada por necessidade de ajustes operacionais, e a Anac já foi informada

Às vésperas da temporada de fim de ano, a ITA Transportes Aéreos, do Grupo Itapemirim, anunciou nesta sexta-feira, 17, a suspensão temporária das operações para uma “reestruturação interna”.

Segundo a empresa, a decisão foi tomada por necessidade de ajustes operacionais, e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) já foi informada.

Por nota, a companhia informou que a suspensão começa na noite desta sexta-feira, 17, e que os passageiros com viagens programadas para os próximos dias devem entrar em contato pelo e-mail falecomaita@voeita.com.br.

“A companhia irá dedicar o máximo esforço para, em breve, retomar seus voos”, diz o comunicado. Aos funcionários, a empresa afirmou que eles devem procurar o departamento de recursos humanos, a partir de segunda-feira, para terem mais informações.

Na análise do advogado Felipe Bonsenso, especializado em direito aeronáutico, não será fácil para a ITA voltar a operar. “A situação é muito difícil. Provavelmente um caminho sem volta”, afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo.

“Cessando as operações, o caixa da empresa logo se esvazia, e a tendência é que arrendadores peçam aviões de volta. As ações trabalhistas e de passageiros contra a empresa aumentam, sem que ela tenha como continuar a gerar receitas para custos básicos essenciais”, afirmou.

Desde que começou a operar, em julho deste ano, a ITA é alvo de denúncias de trabalhadores por atrasos em pagamentos. Em novembro, o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), que representa pilotos e tripulantes de voos, entrou, com uma ação coletiva na Justiça pedindo a regularização do pagamento de salários atrasados, diárias de alimentação e vale-alimentação, além do recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Apesar de fazer parte do grupo Itapemirim, que está em recuperação judicial, a companhia aérea não se encontra na mesma situação. Ainda assim, a administradora judicial do grupo, a EXM Partners, destacou, em relatório referente a setembro, que a ITA já consumiu R$ 39,9 milhões do grupo.

A EXM afirmou também já ter pedido esclarecimentos da empresa, mas que o grupo alegou sigilo de mercado para não apresentá-los.

Com informações do Estadão Conteúdo

Título e Texto: Redação, revista Oeste, 18-12-2021, 0h15

Um comentário:

  1. Possivelmente, a radiosa e briosa Anac - Agência Nacional dos Assopradores de Canudinhos, não deixará que a VIP deixe seus milhares de passageiros a ver navios, ou pior, aeroplanos de asas coladas. Afinal de contas, essa séria e honesta agência -, cabide de emprego para nenhuma outra empresa voadora do ramo colocar defeitos, cuidará para que todos os passageiros com seus voos marcados cheguem aos seus respectivos destinos. A Anac, ou como diria Ari Toledo, Agência Nacional de Assaltantes Cadastrados, empresa genuinamente brasileira, acima de qualquer coisa, zela, de unhas e dentes, pelo bom nome, e, sobretudo, pela imagem que representa perante a sociedade dos Trouxas e Manés. Em face disso, jamais deixará ou permitirá que passageiros (indo ou vindos) estraguem o sonho da tão aguardada viagem de Natal e Final de Ano. Se estivéssemos no Brasil, talvez a coisa não funcionasse, mas, como estamos num país de malandros e sabotadores da boa ordem...

    Carina Bratt
    Ca
    de São Paulo, capital.

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-