domingo, 12 de dezembro de 2021

No Rio, ex-trabalhadores da Varig voltam às ruas, terça-feira, 14 de dezembro


Luiz Motta

Vou fazer de forma bem resumida, como foi nossa evolução neste ano de 2021, com o novo AJ (Administrador Judicial), Sr. João Uchôa.

Iniciamos o ano com duas metas básicas, um rateio no primeiro semestre e um NOVO RATEIO no SEGUNDO SEMESTRE, já com este novo administrador, pois não tivemos qualquer ação por parte da massa falida aos nossos pedidos entregues, até como medida emergencial devido à pandemia, mas sem qualquer resposta até à divulgação da prisão do Wagner Bragança no sistema prisional de Bangu, onde se encontra até os dias de hoje, por desvio de dinheiro na área da saúde do Rio de Janeiro.

Iniciamos nossas reuniões mostrando nossas reivindicações com este novo AJ, e já em nosso segundo encontro obtivemos que seria rateado um valor de 52,5 milhões que deveria ter sido pago até junho, mas com o problema da Procuradoria sobre um tributo referente ao FGTS, estendeu-se até ao mês de outubro essa negociação, mas ainda assim, chegou-se a uma forma satisfatória com o valor principal sendo pago aos credores trabalhistas. Por este motivo, estamos até o momento sem um posicionamento concreto do segundo pagamento que solicitamos, mas não perdemos em nenhum momento nosso objetivo em nossas reuniões com colocações junto ao AJ, para realizar um NOVO PAGAMENTO AINDA neste semestre.

Quero também aproveitar e lhe informar que após esses seis anos de luta, em busca de nossos direitos onde participei ativamente, tenho plena consciência que essas ações não foram os únicos motivos em obtermos essas PEQUENAS/GRANDES VITÓRIAS, mas foi sem dúvida, um dos principais motivos que fez o grupo sair da inércia em que se encontrava e perceber a força que temos em nossa BANDEIRA VARIG, em nossas CAMISETAS VARIG e, principalmente, EM NOSSO GRUPO, quando nos apresentamos NA PORTA DOS QUE DETÉM NOSSOS DIREITOS, sejam trabalhistas ou previdenciários.

Dia 14, agora na próxima terça-feira, teremos uma nova reunião, temos como objetivo principal UMA RESPOSTA POSITIVA a este pedido feito desde o início do ano e, confesso, estou bastante otimista que tenhamos algo positivo. Quero deixar registrado que, embora os interesses do administrador sejam completamente diferentes dos nossos, ele sempre nos tratou com muito respeito e cordialidade, mostrando entender toda a nossa angústia durante tanto tempo, para que possamos receber, ao menos, os 150 salários.

Por que na Praça dos Expedicionários?
Porque fica no centro da cidade, ao lado do TJRJ (onde fica a 1ª Vara Empresarial). 

Informo em 1ª mão, que estarei SOMENTE até o dia 20 de dezembro de 2021 atuando e me dirigindo ao grupo, e caso não tenhamos uma MENSAGEM OFICIAL por parte da Massa Falida, pois promessas e boas intenções principalmente de quem não detém nossos direitos ficam ao vento, deixarei ao menos o caminho que trilhamos até aqui, para que continuem nossa luta, pois a partir desta data irei atuar somente de forma judicial e terei um novo slogan que será:

                             “Filhas, Netos, Mochila e Estrada”   

Seguem algumas imagens que venho dirigindo ao grupo desde início de outubro, atualizando duas a três vezes por semana.

Um grande abraço,
Cmro. Luiz Motta, Rio de Janeiro, 12 de dezembro de 2021





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-