domingo, 8 de maio de 2022

[As danações de Carina] Mãe


Carina Bratt
 

MÃE – Maior Amor Espiritual
Aparecido Raimundo de Souza 


Para a minha mãe MARCELA BRATT e todas as demais, do Brasi e mundo afora.
Com saudade e um carinho especial e imenso à dona Ana Domingues, mãe de meu patrão, Aparecido Raimundo de Souza. 


Com que suave ternura 
tece a canária seu ninho! 
— Mãe é assim, dengosa e pura, 
a nossa e a do passarinho...
(de A. A . de Assis – Maringá, PR

Minha mãe, tu que me acalmas, 
e que meus males espantas, 
és a mais pura das almas, 
és a mais santa das santas. 
(Almeida Faria, São Paulo, SP

Mãe, por mais que eu me concentre 
na importância do que faço, 
não esqueço que o teu ventre 
foi o meu primeiro espaço
(Almerinda Liporage – Rio de Janeiro, RJ)

Mãe, retrato de ternura, 
de pura abnegação, 
é a mais doce criatura 
a quem Deus deu coração. 
(Amilton Monteiro, São José dos Campos, SP

Amor de mãe é semente 
que germina em qualqeur chão,
é feito só de ternura,
é feito só de perdão. 
(Anfrísio Lima, Espírito Santo, ES

Se Deus escutasse um dia 
minha prece ingênua e doce, 
quem fosse mãe não morria, 
por mais velhinha que fosse. 
(Archimiro Lapagesse, Florianópolis, SC

Título e Texto: Carina Bratt. De Vila Velha no Espírito Santo, ES. 8-5-2022

Anteriores: 
De um anjo Muritibano 
Pra sempre 
Pequenos arranjos para gritos sem ecos 
[As danações de Carina] Somos como instrumentos de uma orquestra parada, à espera do maestro 
Pra não dizer que não falei do amor... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-