quinta-feira, 27 de outubro de 2022

[Aparecido rasga o verbo – Extra] Última chamada. Venham todos conhecer o “Brazzzzel”

Aparecido Raimundo de Souza

NUNCA OUVIMOS FALAR, que nesse pais de merda existisse o “Estado de direito” (1). Conhecemos não a coisa por ouvirmos dizer, mas por sentirmos na pele a sua verdadeira definição pátria. Nesse tom o “Estado de direito”, perdão, o "Estrado de direito", nada mais é que aquela base de madeira entrelaçada igual beijos de aranhas loucas e menstruadas, que a gente compra nas lojas que vendem camas e colchões. As putas e vadias adoram os Estrados, notadamente se vierem acomodados com bons colchões.

No brazzzzel, o “Estado de Direito” faz tempo, virou "Estrago de direito". Que porra é essa? Vamos tentar explicar. O “Estrago de direito”, perdão, o “Estrado de direito”, em dias atuais, se entende por aquele púlpito (2) que foi feito ou construído direito e não de forma errada. Trocado em miúdos. “Estrado de Direito”, local elevado do chão, onde os picaretas que pleiteiam cargos públicos para continuarem mamando nas tetas, trepam para fazerem promessas e discursos e engambelarem os “Trouxas e Manés”. Os “Trouxas e Manes”, sempre lembrando, somos nós.

Os “Estrados” servem também como proscênios (3) para os vigaristas já travestidos e vindos de velhos carnavais, disfarçados  como parlamentares, “devogados” “juízes”, “promo”CO”res”, “deuputados”, mi”SI”nistros” e outras figuras bestiais falarem bonito e provarem que sabem cagar com excelência pelas bocas sujas de dentes podres. E o melhor de tudo: asseverarem que conhecem profundamente (como as pregas de seus rabos), a “Noça” querida e fodida, desculpem, a “Noça” querida e fornida (4) língua portuguesa.

O verdadeiro e correto “Estado de direito” pode ser visto por outra ótica (a ótica boa), ou seja, a daqueles casaizinhos de pombinhos que compraram ou pretendem adquirir pacotes para finais de semana curtirem as suas esposas, amigas, namoradas, amantes, ficantes e lubrificantes. Grosso modo, lugarezinhos aconchegantes, como por exemplo a majestosa e inoxidável pilha de “Ferrando Semvergonha”. “Ferrando Semvergonha” só para não fugir da memória, está situado na “Exporrada dos Mistérios” e não na bucólica Recife, capital de Pernambuco.  

Para gostos mais sérios, profundos e apurados, o brazzzzel oferece pontos equidistantes e não menos importantes. A “Chupada dos Viadeiros”, por exemplo é um deles. A “Chupada dos Viadeiros”, em Goiás, é excelente para quem gosta de ficar chupando alguma coisa, de pernas para o ar, ou dando o caneco, sem fazer absolutamente porra nenhuma, a não ser dar. Os “viadeiros” surgem do nada. Andam em bandos como caçadores de votos em épocas eleitoreiras.

Se assemelham, dito de forma mais sensível, aos ratos de esgotos saídos das latrinas conhecidas como “Mistérios da Semsaúde”, da “Edulcação, da “Insegurança Pública, “Mistério da Deufesa”, das “Mamas sem “Energia”, da “Infraescultura”, da Semgurança Institucioanimal...”. Enfim amigos, creiam, existe um mistério para cada gosto.   Voltando a “Chupada dos Viadeiros”, para os que não sabem, é um lugar soberbamente paradisíaco, encostado ao lado da Cracolândia, no centro nevrálgico de brazzzilia. Do ponto mais alto se avista a “Torre de Televisão” a Catedral e a “Estação Rodoviprecária”.

Ou mais precisamente, para não “aver” erros, e dúvidas, notadamente para quem vem ao “Berso das Grandes Indecisões Nacionais”, devemos deixar claro que da “Praça dos Três Fuderes”, tem a sua filial ao longo do belíssimo largo do Lago Largado Sul (O Paranocagá) de onde qualquer pessoa (ainda que cega das entranhas da bunda consegue ver tudo. T U D O.

Por assim, antes que as eleições cheguem, vez que as “Urinas” estão pedindo votos pelo amor de Deus em nossas portas, sugiro aos amigos e leitores que aproveitem seus cartões de crédito e viagem país afora. O Brazzzzel está morto. Morto e enterrado. Foi para a vala vitimado por uma doença pior que o câncer e a Covid-19, entre outras pragas e enfermidades ainda desconhecidas pela Medicisemvacina brasileira.

Resumindo meus caros e diletos amigos. Procurem visitar o Brazzzzel de todos nós, brasipuleiros.  FAÇAM ISSO ANTES QUE ELE, O BRAZZZZEL SUMA, DE UMA VEZ PARA SEMPRE DO MAPA. CREIAM, FALTA POUCO.

Notas de rodapé:

1) Estado de Direito – O conceito de Estado de Direito é relacionado ao poder do Estado. É quando esse poder, em relação às decisões que podem ser tomadas pelos governantes, é limitado pelo conjunto das leis, pelo direito e por quem puder pagar mais e sair comprando todo mundo.  

2) Púlpito – Palco ou tablado. No sentido do texto, palanque onde os políticos sobem para jogarem merdas e excrementos em nossos rostos. 

3) Proscênios – Partes anteriores de um palco, que avança desde a boca de cena até seu limite de separação da plateia.

4) Fornida – Cheia, roliça, abastecida, bem nutria.

Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, de São Paulo, Capital, 26-10-2022

Anteriores: 
Cara ou coroa 
Tantos depois... 
Labirintos de passagens 
Ponto obscuro 

2 comentários:

  1. Excelente escritor

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, amigo Marcos Nanhay pelo comentário. Tento. Um dia chego lá.
    Aparecido Raimundo de Souza
    de Santo André, São Paulo, Capital.

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-