domingo, 29 de agosto de 2021

Em poucas semanas a Alitalia será apenas uma lembrança

A tradicional empresa aérea italiana não resistiu às más administrações, a uma tentativa desastrada de privatização e ao poder destrutivo dos sindicatos

Dagomir Marquezi

Um dos símbolos da Itália desde 1946 está em seus últimos dias. A Alitalia, que levou as cores do país pelos aeroportos do mundo encerrou a venda de passagens e sua história vai ser definitivamente terminada em poucas semanas. Desde sua fundação, teve apenas um ano de lucro, em 1998.

Matéria da CNN lembrou os tempos de maior prestígio da companhia, quando os uniformes de suas comissarias eram desenhados por estilistas como Alberto Fabiani, Renato Balestra e Giorgio Armani. As refeições a bordo eram das melhores do mercado de aviação. Desde 1964 a Alitalia foi o transporte oficial do Papa, sempre com o número de voo AZ4000.

Este comercial mostra a Alitalia nos seus bons tempos, registrando um voo em 1977 a bordo de um DC-10:

A empresa não resistiu às más administrações, a uma tentativa desastrada de privatização e ao poder destrutivo dos sindicatos italianos. Os golpes finais vieram com as crises provocadas pelos atentados de 11 de setembro e pela pandemia de Covid-19.

A Alitalia será substituída a partir de outubro por outra estatal, mais enxuta e bem menos glamurosa: a ITA.

Título e Texto: Dagomir Marquezi, revista OESTE, 29-8-2021, 11h15

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-