quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Rio amplia exigência de comprovante de vacinação para bares, shoppings, hotéis, táxis e mais

Decreto da Prefeitura passa a valer a partir desta quinta; veja os locais que cobrarão o "passaporte da vacina"

Altair Alves

Um decreto da Prefeitura do Rio, publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (2/12), estendeu a exigência de comprovante de vacinação contra a Covid-19 em áreas internas e cobertas de bares, restaurantes, shoppings, hotéis, pousadas, salões de beleza táxis, transportes por aplicativo, entre outros (veja a lista completa abaixo). A nova medida estabelecida pelo município já começa a valer a partir desta quinta-feira.

Foto: Tânia Rêgo

Locais como academias, cinemas, teatros, museus e estádios, que já cobravam o “passaporte da vacina”, continuam com a restrição. A principal preocupação atual da gestão municipal é a propagação da variante ômicron.

A vacinação pode ser comprovada pelo aplicativo ConecteSUS ou a caderneta de vacinação, mediante apresentação com documento com foto. A exigência e a fiscalização do controle das pessoas nas dependências dos locais será de responsabilidade dos estabelecimentos, que em caso de descumprimento da ordem, poderão ser multados e ter a licença cassada.

A Prefeitura também destaca no decreto que a produção, uso ou comercialização de documentos falsos de vacinação contra a Covid, além de adulteração do documento, está sujeito a sanções nas esferas civil e penal.

Na última quarta-feira (1/12), o prefeito do Rio, Eduardo Paes, anunciou que vai fazer um monitoramento da pandemia pelos próximos 15 dias para decidir se o Réveillon vai ser realizado ou não na capital.

Questionado sobre o Carnaval, Paes disse que ainda é cedo para definir se é possível fazer ou não a festa.

Veja os locais do Rio que exigem o comprovante de vacinação:

·         bares, lanchonetes, restaurantes e refeitórios (áreas internas ou cobertas);

·         transporte de passageiros por taxímetro ou aplicativo;

·         boates, casas de espetáculos, festas e eventos em geral;

·         hotéis, pousadas e aluguel por temporada;

·         salões de beleza e centros de estética;

·         shopping centers e centros comerciais.

·         academias de ginástica, piscinas, centros de treinamento, clubes e vilas olímpicas;

·         estádios e ginásios esportivos (já era exigido);

·     cinemas, teatros, salas de concerto, salões de jogos, circos, recreação infantil e pistas de patinação (já era exigido);

·   museus, galerias e exposições de arte, aquário, parques de diversões, parques temáticos, parques aquáticos, apresentações e drive-in (já era exigido);

·       conferências, convenções e feiras comerciais (já era exigido).

Título e Texto: Altair Alves, Diário do Rio, 2-12-2021

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-