domingo, 8 de novembro de 2020

[Aparecido rasga o verbo] As nossas ‘Manhãs de Setembro’ e as ‘Madrugadas de Novembro’ ficaram mais tristes

Aparecido Raimundo de Souza 

A PARTIR DE HOJE, as nossas ‘Manhãs de Setembro’ não serão mais as mesmas. Faleceu em Santos, litoral de São Paulo, VANUSA SANTOS FLORES, ou simplesmente Vanusa, aos 73 anos. Paulista de Cruzeiro, interior de São Paulo, Vanusa veio ao mundo em 22 de setembro de 1947. 

Vanusa foi atriz e compositora, mas se firmou, mesmo, na vida profissional, como cantora, inebriando as nossas vidas nas décadas de 60 e 70, com a sua voz maviosa e inconfundível. Como atriz, participou da novela ‘Cinderela 77’, pela extinta TV Tupi, além de ter trabalhado por muitos anos com os ‘Trapalhões’. 

Dos seus seis casamentos, os que deixaram marcas profundas, certamente, apenas dois dignos de serem lembrados. O primeiro deles, com o ator, produtor e diretor de cinema, Augusto Cézar Vannucci, com quem teve um filho, Rafael Vannucci e, o segundo, com o cantor Antonio Marcos, dando luz à duas meninas, Aretha Marcos e Amanda Marcos. 

Vanusa deixou para nós, muitos sucessos, como, ‘Pra Nunca Mais Chorar, Vem, Eu Preciso Te Esquecer, Sonhos de Um Palhaço, Vai, Paralelas, Hino Ao Amor, Eu Tenho Um Amor Melhor Que o Seu, Estado de Fotografia, Noite Vadia, Avôhai, Droga Maldita, Porque Chora a Tarde, Mundo Colorido, Esperando Aviões’ e outras mais. Ao todo, 220 músicas distribuídas em mais de 19 discos. 

Senhoras e senhores, não queremos lembrar da nossa Cruzeirence famosa pontilhando, aqui, o que verdadeiramente causou a sua morte. Vamos nos ater, literalmente, às coisas boas que ela nos legou e que, temos plena certeza, ficarão em nossas mentes para sempre.

A partir daqui, repetindo, as nossas ‘Manhãs de Setembro’ ficarão tristes e vazias, destituídas daquela magia que se condensava em nossos corações quando Vanusa cantava. A partir de hoje, igualmente a partir de agora, as nossas melancólicas ‘Madrugadas de Novembro’. 

Voa, Vanusa! Voa ligeiro.  Vá sem medo. As asas de um pássaro de Esperança lhe aguardam para uma viagem ao INFINITO. E ele, o INFINITO, se RESPLANDECE... E LHE CONSAGRA! 

Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, de Florianópolis, Santa Catarina, 8-11-2020 


Colunas anteriores:

Uma nova modalidade de crime pinta no pedaço: o ‘estupro culposo’
Ciclo temporal
O Louro José, de repente, emudeceu...
Pedágios
Antonella, treze anos depois
Imprevisto inesperado

2 comentários:

  1. O velório e sepultamento da cantora Vanusa, que faleceu na madrugada deste domingo (8), será em São Paulo, informou a assessoria da artista em nota. “Seguindo os protocolos de saúde e distanciamento social, o corpo da cantora Vanusa será velado pela família e amigos próximos no Funeral Arce Morumbi, Av Giovanni Gronchi 1358, nesta segunda-feira, dia 9 de novembro, das 8 às 14 horas. O sepultamento será às 16 horas no Cemitério de Congonhas”.

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, senhor Jim. Eu e Aparecido estaremos presentes. Sairemos agora, às 22 horas de Florianópolis, em Santa Catarina voando Campinas,Viracopos.
    Carina
    Ca
    De Florianópolis, em Santa Catarina.

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-