quarta-feira, 4 de novembro de 2020

[Diário de uma caminhada] Certinhos e bonitinhos


Gabriel Mithá Ribeiro
 

Viver para ser certinho e bonitinho a qualquer custo é abrir os braços à vil submissão. Por vezes, a obsessão com a forma impede-nos de atingirmos o conteúdo, o verdadeiramente importante, impede-nos de impormos a razão a quem nos sobrecarrega de impostos, inferniza as vidas, atropela as nossas identidades, não nos respeita, faz fracassar as instituições em que confiávamos desde os nossos avós, empobrece-nos, humilha-nos anos e anos. 

Nesse «nós» atropelado na sua dignidade estão polícias, empresários, professores, crentes religiosos, médicos, enfermeiros, desportistas, demais funcionários, assistentes de bordo, estudantes, contabilistas, agricultores, reformados, gente comum, pessoas pertencentes a minorias, entre tantos outros. 

Um despertar energético pode ser um bom começo de um dia tranquilo. 

Gabriel Mithá Ribeiro, Vice-Presidente do CHEGA!, 4-11-2020 

Anteriores:
«Governo Sombra»: três histéricos barricados contra Ventura. Desapareçam!
O ensino, por Roger Scruton
O casamento, por Roger Scruton
Açores: a miséria moral chamada PSD
Divinos boçais: revolte-se contra a violência mental esquerdista. CHEGA!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-