sábado, 16 de novembro de 2019

O ridículo de um tal de Polígrafo (o primeiro jornal português de Fact-Checking)

O professor Gabriel Mithá Ribeiro nos alertou para esta “notícia bombástica".

Muito ridícula! Mas alguém terá dito que era mentira a dedicatória estampada na nona página do livro?

Maria Luís Albuquerque apresentou um livro que é dedicado a Donald Trump e Jair Bolsonaro?

Gustavo Sampaio


O QUE ESTÁ EM CAUSA?
Ontem à noite, no programa "Eixo do Mal" da SIC Notícias, Pedro Marques Lopes revelou que a antiga ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, foi a apresentadora de um livro da autoria de Gabriel Mithá Ribeiro que é dedicado a "Donald Trump, Jair Bolsonaro, Nova Direita Europeia e Povo de Israel". Verdade ou falsidade?

"Há um senhor chamado Gabriel Mithá Ribeiro que escreveu um livro chamado 'Um Século de Escombros'. E este livro é dedicado ao Donald Trump, ao Jair Bolsonaro, à Nova Direita Europeia e ao Povo de Israel. É um livro que, além de ser dedicado a estas pessoas, tem inúmeros elogios a personagens tão dignas como Viktor Orbán e o grande Steve Bannon. (…) O que a mim me surpreendeu… Quem é que foi apresentar este livro? Maria Luís Albuquerque, a ex-ministra das Finanças, aquela pessoa que Cavaco Silva achava que dava uma boa líder do PSD", afirmou Pedro Marques Lopes, na edição que assinalou o 15º aniversário do programa "Eixo do Mal", transmitido na SIC Notícias.

Pedro Marques Lopes e Daniel Oliveira

Ora, confirma-se que Maria Luís Albuquerque apresentou um livro que é dedicado a "Donald Trump, Jair Bolsonaro, Nova Direita Europeia e Povo de Israel"?

De facto, no dia 6 de novembro de 2019, a antiga ministra das Finanças e ex-deputada do PSD apresentou o novo livro de Gabriel Mithá Ribeiro, intitulado como "Um Século de Escombros - Pensar o futuro com os valores morais da Direita".

Segundo noticiou a Agência Lusa nesse mesmo dia, "a antiga ministra das Finanças entre 2013 e 2015, apresentou hoje, em Lisboa, o livro 'Um século de Escombros - Pensar o futuro com os valores da Direita", de Gabriel Mithá Ribeiro, onde esteve também o antigo primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, o que mereceu um agradecimento especial por parte do autor. Mas sobre a situação que o PSD atravessa, com a disputa da liderança entre Luís Montenegro, Miguel Pinto Luz e o atual presidente do partido, Rui Rio, que sucedeu precisamente a Passos Coelho, nenhum dos antigos governantes quis falar à comunicação social".

"Na apresentação do livro, a social-democrata recordou os tempos em que o XIX Governo (2011-2015) pôs em prática o programa de ajustamento financeiro, depois da crise de 2011. Entre os países que passaram por um resgate, a Grécia foi aquela que optou por adotar uma 'atitude de vítima', em contraste com 'a atitude de responsabilidade adotada pela Irlanda, Portugal ou Chipre', afirmou a antiga ministra", de acordo com a Agência Lusa.

"'O posicionamento de vítima assumido pelo governo grego acabou por levar a medidas muito graves' que fizeram com que o 'sofrimento tenha sido muito e inutilmente prolongado', considerou a ex-governante. Na sua opinião, os partidos da esquerda em Portugal 'rapidamente se descartaram da responsabilidade da resolução da crise e, naturalmente, aderiram ao herói do Syriza quando apareceu com esta postura de vítima e com esta atitude de desafio'", lê-se na mesma notícia.

Mais, "na sua intervenção, Maria Luís Albuquerque fez também referência ao facto de o livro abordar o período do nazismo e os crimes perpetrados por este regime que vingou na Alemanha, e destacou 'a forma como os crimes associados ao nazismo foram aceites' e 'ultrapassados'. Um contraste com a 'mea culpa' que não foi feita na sequência de 'muitos dos crimes cometidos por regimes contemporâneos, de regime comunista', argumentou. 'Ao não reconhecer os erros, eles não são ultrapassados e correm imenso risco de se repetirem', alertou".

Consultando o livro em causa de Mithá Ribeiro, confirma-se que é mesmo dedicado a "Donald Trump, Jair Bolsonaro, Nova Direita Europeia e Povo de Israel", logo nas respetivas páginas iniciais (pode consultar aqui). A afirmação em análise de Marques Lopes é assim classificada como verdadeira.

Avaliação do Polígrafo:
VERDADEIRO

A matéria é assinada por Gustavo Sampaio, adivinha em qual jornal? Exatamente! Diário de Notícias, em 15-11-2019

Qual é o problema de dedicar um livro a Donald Trump e Jair Bolsonaro??!!

Bom mesmo é dedicar livros a Stalin, Pol Pot, Fidel Castro... é isso?

Ah, outra coisa, talvez a mais importante: este programa era (é) ‘moderado’ por um senhor de esquerda, cujo representante da Direita era (é) este infeliz Pedro Marques Lopes... deu para entender?!

Estive nessa apresentação e gostei demais da “aula” da doutora Maria Luís Albuquerque.

Relacionados:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos comentários "anônimos".

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-