terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

[Aparecido rasga o verbo] Território restrito

Aparecido Raimundo de Souza

CHEGOU AO NOSSO CONHECIMENTO, que o cientista político Luiz Philippe de Orleans e Bragança (que também é príncipe e deputado federal pelo PSL-SP), enviou à Suja... Mil perdões, a Sua Excelência Excelente Santidade, o  “arcebispo” (percebam, a ser,  ainda não é)  Dom-dom Tindolelê senhor Giovanni D’Angelo, um “orifício” (datado de 5 de fevereiro p.p), informando que o ilustre lustre de tetos e forros, Luiz Inácio Fula Mula da Silva, nosso ex-“presiodente” é um tremendo criminoso e que por ter soltado uma graninha por debaixo dos panos (faz-me-rir vinda de seus seguidores) está gozando, ocasionalmente, de uma liberdade não muito convincente.

Pelo menos, aos olhos dos brasileiros-natos que têm vergonha na cara e ficam com a fuça vermelha ao se depararem com tanta putaria aprontada pelo rebento mais filho da puta de Caetés, interior de Pernambuco. Reforça o parlamentar, em seu bilhetinho, ao insigne e nascoloso nunciato da apostólica de Brazzzilia, que o petista de dezenove dedos responde a mais nove processos como réu-réu-éu-éu na justisssa brasileira. Os crimes são de bandeira amena. A saber: transgressões bobas. Picuinhas sem importância, a maioria intrigas da oposição. Pelo sim, pelo não, Sula, perdão, caríssimos, Lula tem sobre seus costados umas boas somas de lavagens de dinheiros em máquinas estrangeiras, corrupções passivas, ativas e sensitivas, meia dúzia de migalhinhas recebidas da Odebrecht, uns tantos trocadinhos da OAS e outras merrequinhas da Schahin. Isso importa?


Não, não importa. Não nos diz respeito. A questão a ser ventilada é: por que toda essa celeuma em torno de um religioso sanchotista que, ao invés de cuidar das mazelas da igreja ou mais especificamente dos padres pedófilos (aqueles batinados... Batinados são os sacerdotes que usam batinas), que comem os noviços que ingressam no apostolado por detrás dos altares e das sacristias, notadamente os coroinhas  e os neófitos que ainda acham que a religião, por essas e aquelas bandas, é coisa séria e visa unicamente ganhar almas para o paraíso do Pai Maior? 

A outra indagação tenta esclarecer os reais motivos que esse gestinho simples do padreco causou, transformando a merda numa polêmica tão imensamente insana e canina, a ponto de um representante nosso, no colegiado do “congresso congressal” se enfurecer com o santo do pau oco Dom Giovanni?! Temos aqui vários caminhos distintos. Vejamos alguns. Ou a sua Reverendíssima não mora no Brazzzil (aliás, reiterando, não mora mesmo. Brazzzia é uma nação estranha aos filhos da terra), jamais ouviu falar de Mula, desculpem, de Lula, é uma das bestas quadradas descritas no Apocalipse, ou por outra ótica, quer aparecer na mídia falando bem do “Dezenove Dedos”, ou no pior dos planetas, é um simpatizante ferrenho dos “tiranos e botanos” vigaristas e larápios, que assolam os sagrados desvãos  da Santa Anta Madre Igreja Católica Apostólica da Grana Romana.

Luiz Philippe de Orleans e Bragança (irmão mais novo do inventor das televisões Philips) não alertou ao “pompontífice” que Lula é um pobre coitado. Tampouco informou que essa criatura perdeu tudo, a começar pelo “tripésis” de Guarujá, e em seguida se viu sumariamente desbundado do sítio Santa Bárbara em Atibaia. Para piorar seu quadro mal pintado com tintas envelhecidas, pós saída dos braços da Polícia Fedemal de Curitiba, Orleans e Bragança não trouxe à baila, em nenhum momento, ao Senhor Pelado, não, ao Senhor Prelado, que arrancaram das mãos de Lula o comando do PT, ou (Partido dos Trapaceiros), sem mencionar, mesmo saco de gatinhos e gatões, que se  o infeliz se pilhou igualmente posto para fora do seu próprio Instituto, o Instituto Mula.

Para quem não sabe, nosso querido e amado Cachaceiro vive, hoje, comendo baratas e ratos de esgoto pelas solitárias ruas de São Bernardo do Campo, onde apenas (vejam bem, apenas) lhe sobrou um apartamentozinho furreca para se esconder das intempéries do tempo. Esse imóvel Fula vem pagando com o suor de seu rosto, graças ao “Minha Casa, Minha vida”. Orleans  e Bragança alerta mais, observa ao Representante do Mingau, perdão, de novo, pela gafe, observa ao Representante de Deus, o Papa, que a Igreja deve se recordar dos fatos passados e se ater, se agarrar de unhas e dentes, entre outros agarramentos, às responsabilidades que tem com a comunidade católica em toda face da terra.

Dito de forma mais abrangente: o príncipe assevera que o “Papapapá” não pode apoiar criminosos que em seus países usaram o poder para levar a miséria e aumentar a pobreza do  seu povo, como é o caso notório e incontestável do insigne Lula, e,  via de ligação, a idêntica cordialidade ao venezuelano Nicolás Maduro. O Reverendíssimo Sereníssimo e outros Íssimos, apela para um trocinho conhecido como ‘valores’. Furioso, Orleans e Bragança manda bala: “quais são os valores de um papa que, sozinho desafia todos os outros defendidos durante centenas de anos pela Santa Sé”. Devemos lembrar aos nossos leitores, que Lula será recebido pelo famigerado papa com honras de chefe de estado. Se duvidar, teremos até tapete vermelho...

Possivelmente o santo Francisco não empregará a sua sanha descortês e infame, recolhendo o braço e escondendo a mão, quando Lula for beijar a sua calejada e cheia de dedos enrugados. O papa com esse trejeito descortês de esconder as patas dos fiéis, deixou bem claro e objetivamente  declarado que não gosta, ou não aprecia ser bajulado pela ralé, pelos pobres, pelo povinho (que infelizmente, por questões religiosas esses chupa colhões insistem em admirar e, em vista dessa queda de personalidade, o colocam num pedestal. O Santo “Omem” de Deus, a bem do que temos presenciado, prefere esticar as unhas cuidadosamente impecáveis e manicuriadas e se oferecer aos “famosos”, aos que foram surrados pelas adversidades (como o Lula). O Mingau só não sabe ainda que Lula é um pobretão.

Se duvidar é bem provável que o nosso papa-mingauzinho alimente, em seu interior, uma quedinha quase sexual por se elevar e se engrandecer com as “coisas mal feitas”. Se os senhores espiarem para os cornos desse Santo “Omem” de Deus, e o fizerem com os olhos da alma, perceberão que sua tez bundamoleada nos lembra, bastante, a faceta agourenta e aterradora do Capeta. Só lhe falta a indumentária do tinhoso para a coisa ficar completa. Ficamos à deriva, como orangotangos a ver macacos pulando de galho em galho,  quando tentamos descobrir por que o papamingau Francisco nunca se deu ao gesto humanitário (ele que peida tanto em complacências e caridades) de visitar  asilos, ou instituições que cuidam de crianças com câncer, ou fazer doações para mudar a vida de seus (sic...) semelhantes...

Será que esse sujeito metido a Eterno se considera um representante à altura do Pai, ou melhor, se acha o próprio Deus encarnado?! Voltando ao Lula, o vagabundo conseguiu na justiça, através do “juiz fedemal”  Vallisney de Oliveira, da décima “Vara Criminal também Fedemal”, da Terra dos Poderosos (Brazzzilia) o adiamento da audiência no momento em que seria interrogado no processo da operação Zelotes, na qual o ex-presidente, todavia ladrão–sem-ex, responde “por supostamente ter recebido uma ajudinha de custo para editar uma medida provisória, ou MP. Essa MP cuja tradução literal significia “Mamada Poderosa” (essas mamadas costumam custar caro a quem pede...) teria... Se liguem, senhoras e senhores, “teria favorecido” empresas do ramo automotivo.

Entre mortos e defuntos a espera de sepulturas e jazigos, o Cachaceiro de São Bernardo deverá aportar com sua gordura balofa, na suntuosa e esfuziante Itália, entre os dias 12 e 15 deste, com uma comitiva de fazer inveja, ou vagabundos e puxa-sacos que farão a sua segurança particular com nosso dinheiro. Vamos supunhetar que, do Vaticano, Lula resolva dar o cano e sumir na poeira para um desses paraísos fiscais? Alto lá amigos! E o processo? A audiência? O interrogatório?  Segundo a agenda do capa preta que cuida do caso, o julgamento (atchim!!!) foi remarcado. O circo armado de mais essa patuscada seria levado a efeito hoje, dia 11, porém, kikikikikiki, o juiz, em atendimento aos advogados de defesa do Lula (todos os advogados da defensoria pública, Lula é pobre no sentido legal da palavra), remarcou o espetáculo para 19 de fevereiro p.v, às 14h30.

Todos nós, irmãos dessa terra sem lei, deveríamos assistir ao espetáculo. Os brasileiros gostam de ser massacrados e se passarem por bestas, por otários, por puxadores de carroças. No contrafluxo, uma audiência de Lula é como uma porteira aberta uma não, várias, para quem pretende seguir, a curto prazo, os caminhos das cocheiras e estrebarias. Por derradeiro, devemos deixar bem sedimentado o seguinte: quando a nossa justisssa permite que um condenado saia do país para um encontro, seja com quem for (com o papa, com  o bispo, ou com o capeta, enfim...) tal disparidade nos leva a duvidar que as leis existentes não são sérias. Por aqui, senhoras e senhores, nada é sério. A Constituição é uma merda, as leis um enorme cagalhão, os representantes que deveriam cuidar para que não houvesse manchas e borrões, se vendem... Se trocam, se deixam levar pela ganância.

Fosse um Chico Pobrezinho que roubou um pão ali na esquina para sustentar a família, duvidamos que esse juizinho abriria mão para que ele viajasse, ainda que da cadeia para participar do velório de um ente querido. Todavia, o réu (réu??!!) pesa na balança. Se as eleições fossem hoje, muitos desses calhordas do poder queimariam a rosca para conseguirem um carguinho junto ao ex-cachaceiro de “Caetés, interior de Pernammaluco”. Enquanto a grana-baba falar mais alto... Leiam um trechinho da carta-ofício do deputado príncipe à sua “Sentidade”: “Indago, respeitosamente, se Sua Santidade não teme pela imagem da Santa Igreja ao apoiar abertamente notórios comunistas brasileiros que, comprovadamente, cometeram graves crimes...

E mais adiante: “Questionamos, ainda, quanto à legitimidade dessa visita e os efeitos negativos que poderão acarretar ao povo e às instituições brasileiras”. Essas palavras sábias escreveu Luiz Phillipe Orleans e Bragança no encerramento do ofício. “Sem querer especular se há qualquer obrigação que a Santa Sé tenha contraído com o condenado no passado, quando ocupava a Presidência do Brasil, ao recebê-lo representará a impunidade e desrespeito às instituições brasileiras. Essa é a prática reiterada pelo condenado e pela organização criminosa que ele dirige. O partido (PT), assim como o condenado, promovem ideologia socialista e objetivos comunistas abertamente há várias décadas”. Apesar disso, rindo de todos nós, Lula voará para Roma. Para ele, agora, TODOS OS CAMINHOS LAVAM O PAPA, TIRAM O CISCO, PERDÃO, AMADOS, LEVAM AO PAPAPAPÁ FRANCISCO.
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, de Carapicuíba interior de São Paulo. 11-2-2020

Colunas anteriores:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-