segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

Revistas brasileiras

Sábado, 5 de dezembro, comprei na banca junto à Padaria da Barra, as três “maiores” revistas semanais brasileiras. Faltou a petista “Carta Capital”, que a banca não tinha. Não perguntei por quê. 


Alguém muito próximo reprovou essa compra, questionando o meu “masoquismo”. Respondi que queria ter a certeza. E agora tenho. Eu as peguei nas mãos, li tudo, de cabo a rabo. 

A IstoÉ não é uma revista, no sentido jornalístico, é uma 'revista' de qualquer Partido da Causa Operária (que me desculpe a Causa Operária). Se este odeia o capitalismo, aquela odeia Jair Bolsonaro. (Vide capas anteriores desta revista)

Classificação: REPULSIVA. 

A Época é do império Globo, tem um tal de Gilberto Amado como diretor, editor, testa (de ferro ou de laranja), cujos editoriais pretendem convencer o leitor (sim! tem leitores e ‘compradores’) a odiar Jair Bolsonaro.

Classificação: INTRAGÁVEL 

A VEJA existe desde 1968. Fui assinante. Também fui assinante da CartaCapital!

Consegui ler sem me causar comichão. Não voltaria a assinar. Aliás, penei para cancelar a assinatura digital. Mas voltarei a folheá-la no próximo ano.

Classificação: TRAGÁVEL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-