segunda-feira, 6 de dezembro de 2021

‘Tem muito picareta na Amazônia’, diz senador sobre abertura da CPI das ONGs

Plínio Valério quer um 'pente fino' nas organizações não governamentais

Cristyan Costa

O objetivo da CPI das ONGs é passar um pente fino nas organizações não governamentais instaladas na Amazônia. É o que informou o senador Plínio Valério (PSDB-AM), nesta segunda-feira, 6, ao comentar a abertura da CPI.

A comissão existe no papel desde 2019, mas não iniciou os trabalhos porque falta ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), oficiar os líderes partidários. Assim, os parlamentares podem escolher os membros da CPI.

“Nossa intenção é separar o joio do trigo”, disse Valério, em entrevista ao Jornal da Manhã, da rádio Jovem Pan. “Há boas ONGs, que merecem nossos aplausos, mas também há muito picareta enfiado nas matas da Amazônia”, afirmou.

Conforme Valério, a CPI quer fazer um levantamento de quantas ONGs atuam na Amazônia atualmente, além de entender como funciona a distribuição de recursos estrangeiros. “O dinheiro não chega à ponta”, garantiu o senador.

“Há ONGs que arrecadam o dinheiro e nos difamam lá fora”, observou Valério. “Elas vêm para cá para proibir-nos de fazer qualquer coisa na Amazônia. Onde nada é permitido, tudo pode. Queremos ver onde chega a desorganização.”

Valério lembrou que a Amazônia é rica em recursos naturais, porém sua população é pobre em razão de não ter acesso a esses recursos. “O nosso objetivo é investigar para denunciar”, disse Valério.

Título e Texto: Cristyan Costa, revista OESTE, 6-12-2021, 9h41

Um comentário:

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-