quarta-feira, 25 de julho de 2012

Volta à pré-história

Peter Rosenfeld

Todos nós sabemos como eram as estradas de rodagem do Brasil antigamente.
Em geral, traçados tortuosos, curvas perigosas em excesso e manutenção... nem é bom falar... O presidente Washington Luis tinha um lema, “governar é abrir estradas”, mas parece que o importante era abrir qualquer estrada, sem muita preocupação com seu traçado e com a qualidade da rodovia.
Não me perguntem por quê, mas jamais se prestou qualquer atenção mais importante à qualidade da estrada, em termos de traçado e de manutenção.
De suma importância e de triste memória, inobstante ao que havia nos países mais adiantados que o Brasil, (refiro-me às estradas de ferro), essas foram igualmente maltratadas e mal conservadas.
Com início no governo Collor (que figura infeliz para o Brasil !!!), começaram para valer as privatizações e, no bojo ou como parte dessas, maior atenção às rodovias e às ferrovias.
O governo do Sr. Itamar Franco “segurou” um pouco esse processo, que foi continuado, ou recomeçado, no governo do Sr. Fernando H. Cardoso.
Graças a esses esforços, atualmente qualquer pessoa pode se comunicar com pessoas em qualquer país com discagem direta e  imediata.
Hoje temos mais de um celular por habitante! Já podemos receber imagens de qualquer evento em qualquer país no momento mesmo em que esse evento está em curso.
Mas no terreno dos transportes, ainda não melhoramos muito.
No marítimo, apanhamos porque os poderosos sindicatos sempre se opuseram às modernizações necessárias. Mas como os portos são uma “franquia” dada pelo governo a si próprio, o processo de modernização é muito lento!
No aéreo, a quase totalidade dos aeroportos brasileiros é operada por agentes estatais e fiscalizados pelos mesmos. Consequentemente, os aeroportos são o pavor dos passageiros (com toda a razão...)
O sistema de ferrovias ainda está atrasado em pelo menos 50 anos! Deficiente no transporte de cargas e de passageiros (alguém acredita que teremos o trem-bala, prometido pela Sra. Rousseff, em algum futuro, mesmo longínquo?)
Sobram as rodovias. Bem ou mal, vínhamos em um processo gradual (penso que, no geral, isso ainda venha ocorrendo), e já temos algumas excelentes em alguns estados.
Mas (sempre há o diabo do “mas”) com o advento de governos esquerdistas, já noto uma certa inflexão na filosofia ou na política das assim chamadas privatizações.
Isso apesar de ninguém estar pleiteando ser proprietário de uma estrada (aliás, perdão, alguns governos se julgam “donos” das estradas, verdadeiro absurdo).
O que se pleiteia e o cidadão deve exigir é que as rodovias sejam bem administradas, o que quer dizer mantidas em perfeitas condições, oferecendo segurança aos motoristas.
Como as do Estado do Rio Grande do Sul, que já foi governado uma vez por filiados ao PT (governo Olivio Dutra, de triste memória! Graças a esse governador, deixamos de ter no Estado uma segunda montadora de automóveis (já tinhamos e ainda temos uma, General Motors), que foi escorraçada pelo governador xenófobo. Os baianos são eternamente gratos aos gaúchos por isso...
No quesito estradas de rodagem, outro Governador (Antônio Brito) resolveu conceder a empresas privadas a manutenção das rodovias, que ficaram ótimas.
Pois agora, novamente sob o governo de um petista (o Sr. Tarso Genro, a quem o ditador Fidel Castro deve a devolução em prazo recorde de dois atletas cubanos que queriam se asilar no Brasil; a quem o assassino Cesare Battisti deve não ter sido  expatriado para a Itália, onde havia sido condenado à prisão perpétua; também devemos a esse político o incentivo ao preconceito racial, com o estabelecimento de cotas para ingresso nas universidades do governo e outras atividades, além de muitos outros atos semelhantes), o Estado retomará a responsabilidade de administrar as rodovias “pedagiadas (termo novo, que significa que na rodovia há que pagar pedágio), o que significa, com certeza, novas e grandes possibilidades de “maracutaias”(“apud” Sr. da Silva)!
E qual petista, apontem-me um que seja, resiste a uma maracutaia?
Lamentavelmente, a Sra. Rousseff não terá condições de evitar isso pois, pelo que parece ser a intenção do governo gaúcho, aplicará essa política apenas às estradas estaduais. Por enquanto, não se fala em fazer o mesmo com as estradas federais!
Mas que retrocederemos com governos do PT, lá isso é certo !!!!
Título e Texto: Peter Wilm Rosenfeld, Porto Alegre, 25 de julho de 2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-