segunda-feira, 23 de julho de 2012

Serralheiros, Canalizadores…

Camilo Lourenço

O que há de errado nesta notícia?

"Anúncios de emprego oferecem mais dinheiro a serralheiros que a advogados, arquitectos e engenheiros". Há alguma coisa de errado nesta notícia? Não, não há. Está tudo no "site" do IEFP.

Em três mil ofertas de emprego, os salários oferecidos a canalizadores e serralheiros são pelo menos iguais aos de engenheiros, advogados e até arquitetos. Há um pedido para um engenheiro mecânico em Lousada, que tem de saber Inglês, Francês e Castelhano, cujo salário prometido (600 euros), é duzentos euros inferior ao de um montador de tubagens em Valença, um torneiro mecânico em Alcobaça e um serralheiro mecânico em Pombal!

O que explica este fenômeno, susceptível de desencorajar os jovens mais determinados em estudar (de que vale passar anos a queimar pestanas para acabar a ganhar mal)? Simples: oferta e procura. Nos últimos vinte anos cresceu o número dos que procuram "canudo", muitos obtidos em universidades "manhosas", em detrimento de candidatos a cursos técnicos. E como ninguém quer ser torneiro, serralheiro etc (a função não dá "status"), o preço dos serviços prestados pelos poucos técnicos nestas áreas cresceu.

Quem não se viu aflito para contratar um eletricista ou canalizador quando tem um problema em casa? E quando se encontra, paga-se os olhos da cara...

Esta situação é o espelho da sociedade portuguesa: existe a obsessão pelo "canudo", em vez da obsessão por um curso com utilidade para a economia: veja-se as vagas, no ensino superior, para a área de Informática e compare-se com Direito... Enquanto isto for assim teremos desemprego elevado, falta de mão-de-obra qualificada e dificuldade em captar investimento estrangeiro.
Título e Texto: Camilo Lourenço, Jornal de Negócios, 22-7-2012

Pois, pois... divirtamo-nos com os grandes, fundamentais e vitais assuntos deste combalido país:
A licenciatura de um ministro – que não roubou, não subornou, se "aproveitou", em rigor, do que a Universidade oferecia, como o fariam todos os hipócritas que o criticam e insultam –  ó hipocrisia e dor de cotovelo disgusting! Falando neste ministro... já em agosto de 2011, na revista Visão, do Grupo Impresa, de Francisco Balsemão, começava o tiroteio...
E vai continuar, quer dizer, piorar... Foi só ouvir o que Balsemão disse na cerimônia de posse do novo presidente-executivo desse grupo, Pedro Norton...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-