domingo, 17 de janeiro de 2021

[Foco no fosso] “Economizando” vacinas

Haroldo Barboza

Em meio aos combates vaci-políticos, dezenas de humanos seguem falecendo. Alguns de forma torturante, sem ar, sem dignidade.

E no meio desta balbúrdia entre “gestores”, a imagem do país fica manchada a ponto de países europeus não aceitarem desembarque de brasileiros em seus territórios.

Não temos a prática de usar lenços descartáveis. O que foi usado há dois minutos, agora pode estar no bolso junto com as chaves da casa ou do carro.

A zona é total. A cada semana, desde novembro de 2020, uma data de início da vacinação em cada região é anunciada e cinco dias depois é adiada. Mas agora resolveram esta questão de forma genial: definiram o dia “D” e a hora “H” para o início da salvação da população (gado) arrastada de um pasto eleitoral para outro.

Se não bastasse isto, temos plena consciência que muitas faturas falsas (triplicadas) serão produzidas para comprar seringas, agulhas, algodão, luvas e outros periféricos sob o rótulo “emergencial”.

E se mais uma vez pensamos que não pode piorar, dezenas de Prefeitos e Governadores anunciam que estão “prontos” para a estafante cruzada que se avizinha.

Mas que “pronto” é este?

Tomando o Rio de Janeiro como modelo, ainda não vi um mapa relacionando os quarenta ou cinquenta postos aparelhados pela cidade, exibindo endereço, horários de início/fim, capacidade de atendimento diário, distribuição da população por dias da semana de acordo com a primeira letra de seu nome e pedido de título de atestado residencial para alocar a “vítima” no posto mais perto de sua casa.

Tal engenharia já devia estar pronta desde outubro de 2020 para efetuar o agendamento via APP no smart ou site de fácil construção. Pode copiar o que é usado no DETRAN ou no site da Fazenda.

Mas como faz parte de nossa cultura de aceitar sem reclamar, certamente na noite do dia “D-1”, colocarão tal mapa (com alguns endereços errados) na tv e no dia seguinte as filas darão três voltas no quarteirão, como na época do auxílio emergencial.

Se não estiver chovendo, alguns podem falecer na fila por insolação. Sobrarão algumas ampolas!

Título e Texto: Haroldo Barboza, 17-1-2021

Anteriores:
Um surto sem susto
Maria vai mudar de bairro
O adorno natural
Papai Noel sem Covid
Escolha a cor da fantasia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-