sábado, 12 de dezembro de 2020

[Foco no fosso] Escolha a cor da fantasia

Haroldo Barboza

Na segunda quinzena de janeiro de 2020, já corriam fortes rumores sobre uma contaminação letal na China que estava começando a se propagar pelo mundo (ainda de forma tímida).

Devido a contratos lucrativos já fechados para o Carnaval de 2020, os dirigentes de grandes estados/cidades (onde desembarcam milhares de turistas) nem cogitaram restrições para reduzir os altos riscos para nós.

A “onda” desembarcou forte logo após o Carnaval. Poderia chegar numa escala tipo: 100 mortes/dia. Mas pela irresponsabilidade (e desejo de implantar terrorismo lucrativo mais à frente) de muitos dirigentes, a escala já começou acima de 500 mortes/dia (média).

E assim, precisando levantar “hospitais de campanha” e adquirir milhares de respiradores (faturados pelo triplo do preço), se fartaram sem precisar passar por licitações e às custas do vírus que serviu para ser apontado como culpado de 40% de mortes por outras causas.

E agora, chegando 2021, estão montando “planos” para vacinações em massa - na verdade, os planos são para montarem novos desvios de verbas da nação. Com as planilhas elaboradas por estas gangues, claro que as filas para vacinação serão dez vezes piores do que as que aconteceram para o recebimento do “auxílio emergencial”.  

Com as vacinas chegando à população, eles farão compras de potentes refrigeradores, luvas, seringas, algodão, esparadrapo e similares pelo triplo do preço do mercado. Sem licitação pois se trata de “emergência”. Ué, não tem plano criado a partir de outubro de 2020?  

E o povo continuará pagando a conta através da redução “momentânea” de seus salários, entre 30% e 70%.

Mas não vai reclamar de nada, caso as “ortoridades” cumpram a promessa de liberarem os desfiles das escolas de samba entre julho e agosto de 2021. As escolas sociais, podem ficar fechadas mais um ano para evitar danos aos mentores da trama.

O nariz de palhaço já temos em nossas faces. Só falta comprar o modelo psicodélico para completar a fantasia.

Título e Texto: Haroldo Barboza, 12-12-2020  

Anteriores:
Quem vai ganhar o desfile?
A ganância não tem limites
Pandemia na passarela
Escolhendo o odor
A fantasma não foi queimada

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-