domingo, 25 de abril de 2021

Pandemia: nenhum lockdown parou a Ceagesp

No primeiro bimestre de 2021, a companhia paulista movimentou 657 mil toneladas de alimentos

Artur Piva

Administrada pelo governo federal, a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) [foto] possui unidades em 12 municípios paulistas: uma na capital e 12 no interior. Em pelo menos três cidades que abrigam essas estruturas (Araraquara, Ribeirão Preto e São José do Rio Preto) houve a decretação de lockdown — mas em nenhuma delas a empresa deixou de fazer o atendimento ao público no local. Os caminhões continuaram entrando e saindo, abastecendo o comércio de mantimentos em todo o Brasil.

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

No primeiro bimestre de 2021, foram movimentadas 657 mil toneladas de alimentos que, somadas, atingiram o valor de quase R$ 2 bilhões.

O coronel da reserva da polícia militar do Estado de São Paulo Ricardo Mello Araújo assumiu o comando da Ceagesp em outubro de 2020. À Oeste, o militar reformado informou que, para as unidades se manterem funcionando, foram adotados os protocolos divulgados pelo governo federal — distanciamento, uso de máscara e álcool em gel. Até o começo deste mês, foram registradas duas mortes por covid-19 relacionadas aos entrepostos.

“A Ceagesp não para, tivemos aumento na armazenagem pela época de safra”, observou Mello Araújo a Oeste. “Se a Ceagesp parar, o Brasil terá sérios problemas. Atendemos 1,5 mil municípios, trabalhamos com 22 países.”

Título e Texto: Artur Piva, revista Oeste, 25-4-2021, 9h

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-