sexta-feira, 30 de abril de 2021

Vacinados com CoronaVac seguem barrados nos Estados Unidos

Imunizante chinês não é bem avaliado pelos norte-americanos

Edilson Salgueiro

Os Estados Unidos seguem mantendo barreira sanitária de prevenção ao coronavírus, embora tenham permitido, recentemente, a entrada de turistas. Para entrar no país, o governo de Joe Biden exige que o viajante comprove ter tomado as duas doses da vacina da Pfizer ou da Moderna, ou a dose única da Jansen — todas de fabricação norte-americana. Viajantes cuja nacionalidade não esteja na lista com veto de entrada no país, ou que não comprovem a vacinação com os imunizantes autorizados, deverão ter dificuldades ou ser levados a cumprir quarentena de dez a 15 dias.

Foto: Willian Moreira/Futura Press/Estadão Conteúdo

Países da União Europeia também não aceitam os vacinados com a CoronaVac, imunizante produzido pelo laboratório chinês Sinovac. Entre as vacinas permitidas no Brasil, a fabricada pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca está entre as aceitas pelo bloco, não obstante as restrições à entrada de brasileiros ainda estejam em vigor na maioria das nações. A tendência é que a barreira sanitária persista até que seja superado o momento mais crítico de contágio do vírus chinês e de proliferação de novas cepas, consideradas mais letais.

Título e Texto: Edilson Salgueiro, revista Oeste, 29-4-2021, 22h

Um comentário:

  1. Aqueles valentes e valorosos governadores, o Conass, os "indígenas do Brasil" (que adoram ser levados para a Europa e lá serem exibidos)... já mandaram carta de protesto ao Joe Biden, à ONU, à rede CNN e etc??
    Por favor, me avise, quando eles mandarem.

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-