terça-feira, 27 de abril de 2021

[Foco no fosso] SUBJUGAÇÃO – parte 9 – esgotamento dos recursos naturais

Haroldo Barboza 

O planeta possui recursos naturais duradouros, desde que a quantidade de habitantes não ultrapasse a um número que não sabemos (apenas estimamos em cerca de 12 BI. Desta forma, a Natureza se recicla e se acomoda usando procedimentos que muitas vezes afetam grandes glebas (vulcões, maremotos e similares). 

Para que tal aconteça, é preciso que a renovação seja feita de forma adequada. Se cortamos 1000 árvores neste mês, tivemos de plantá-las há 2 anos (ou mais, dependendo do tipo). 

Ocorre que a velocidade da ganância pela alta lucratividade não é compatível com esta “demora” imposta pela Natureza. Muitas vezes nos perguntamos por que um sujeito deseja ser rico a ponto de garantir a sobrevivência de sua 8ª geração de herdeiros! Deve ser pelo simples prazer de ser mais “poderoso” do que seus concorrentes que jogam tênis ou golfe no mesmo clube. Isto deve fazê-lo sentir-se um “deus” que decide o futuro (sua diversão preferida) de milhões de seres impotentes com uma canetada. 

O fato é que não desejam investir 70% dos ganhos na melhora da qualidade geral de vida. Preferem o cenário mais cinza que permite realçar o brilho dourado de joias de metais raros que suas esposas carregam no corpo. 

Assim sendo, preferem se apossar do que está “quase pronto” para ser manufaturado por robôs que não reclamam melhores condições de vida. Desta forma, visualizam um mundo com menos lacaios, talvez metade do que temos hoje. O suficiente para engraxarem seus sapatos elaborados com alguma fauna em extinção, ninarem seus rebentos com cantigas infantis, limparem os estábulos de seus valiosos cavalos (o gasto com cada animal por mês, dá para cuidar de 100 crianças numa escola durante um ano) e prepararem suas suntuosas refeições diárias.  

Os cozinheiros que se cuidem. Seus empregos estão garantidos até que inventem um robô que sinta odores. 

Com esta política genocida de cavoucar sempre nas mesmas áreas, reduzem as forças nativas do país alvo, chegam como “benfeitores”, exploram as fontes por dezenas de anos e partem para outros alvos quando o atual está quase exaurido. 

A seguir: SUBJUGAÇÃO – parte 10 – provável futuro

Título e Texto: Haroldo Barboza, abril 2021 

Anteriores: 
SUBJUGAÇÃO – parte 8 – guerras lucrativas 
SUBJUGAÇÃO – parte 7 – falências controladas 
SUBJUGAÇÃO – parte 6 – consumo direcionado 
SUBJUGAÇÃO – parte 5 – mentes controladas (II) 
SUBJUGAÇÃO – parte 4 – mentes controladas (I) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-