sexta-feira, 3 de dezembro de 2021

Moradores de rua improvisam varais de roupas em calçadas no Centro do Rio

A região do Centro continua passando por problemas de ordenamento urbano, e as autoridades têm tido dificuldades em administrar a população de rua e os camelôs

Diário do Rio

Quem passou nos últimos dias pelo Centro do Rio, mais precisamente pela região da Rua Miguel Couto, provavelmente se deparou com uma cena que, sem dúvidas, vem causando crescente estranheza.

No cruzamento com a Teófilo Otoni, moradores de rua transformaram as calçadas em uma espécie de ”quintal de casa”, pendurando roupas em varais improvisados e atrapalhando, assim, a passagem dos pedestres pelo local, além de piorar a percepção de civilidade e segurança do Centro do Rio.

”É um absurdo. A gente precisa passar pela calçada desviando de algo que é irregular. Não é possível que essa situação não possa ser corrigida”, diz uma fonte ouvida pela reportagem que preferiu não se identificar.

O Centro do Rio tem sido alvo de grandes planos pela atual gestão da Prefeitura da cidade, que chegou a criar o Gabinete de Crise para tratar dos problemas da região, que passa por grandes mudanças.

Como parte destes planos, a Poder Executivo municipal conseguiu limpar e civilizar a região localizada entre o obelisco da Avenida Rio Branco e o Largo da Carioca, considerado pelo prefeito Eduardo Paes a ”área brinco”, ou ”quadrante de ouro” da região, que vem recebendo grandes investimentos do mercado imobiliário.

Vale ressaltar que o DIÁRIO DO RIO tentou contato com a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Seop) para averiguar se há alguma previsão de solução para o caso, mas, até o fechamento desta matéria, não obteve resposta. A reportagem será atualizada caso isso aconteça (conferir no final do texto).

Problema também em Copacabana

E não é só na região central do Rio de Janeiro que tem acontecido problemas desse tipo. No último sábado (27/11), você leu aqui no DIÁRIO DO RIO sobre sujeira e insegurança que moradores de rua têm causado nos arredores do Museu da Imagem e do Som (MIS), em Copacabana, na Zona Sul.

Título e Texto: Redação, Diário do Rio, 2-12-2021

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-