sexta-feira, 30 de dezembro de 2022

“Como uma vela que se apaga”

Padre Jerome Brown

“Como uma vela que se apaga”. Há algum tempo, o secretário particular de Bento XVI referiu-se assim ao seu estado de saúde. Enquanto Papa, Joseph Ratzinger em relação aos erros do Concílio pouco fez para remediar, e ainda teve a infelicidade de reproduzir um malfadado encontro de Assis talvez menos sincrético, porém mais relativista.

Contudo, Bento XVI foi o Papa que respondeu corretamente sobre a chamada Missa Tradicional e lhe deu o lugar menos inadequado na Igreja nesses últimos 50 anos.

Primeiro respondeu que a Missa jamais foi proibida (usando o habitual argumento de que não pode ser normal que uma coisa um dia seja santa e noutro dia seja proscrita) e deu uma liberdade que não era a justa, mas era pelo menos não humilhante para a Missa Tradicional.

Se me permitem uma comparação rude, é como se um inocente fosse preso, mas depois fosse solto com a obrigatoriedade de usar tornozeleira… Bem… pelo menos está em liberdade…

Havia uma ou outra restrição desnecessária em Summorum Pontificum, mas a Missa estava livre.

E isso gerou um efeito na Igreja, desde a sacralidade das celebrações até a modéstia nas roupas, e fenômenos como comunidades de orientação carismáticas desenvolverem cantos (a meu ver horríveis, mas não deixa de ser um fenômeno, em latim).

Bento XVI criou inegavelmente, em uma continuação dos anos finais de João Paulo II, voltados para a Eucaristia, o Rosário e o Sacerdócio, uma geração de padres dedicados ao altar, ao zelo pelas almas, ao ensino da doutrina, à ars celebrandi.

Também não se pode negar o esforço de Bento XVI em afirmar que a Igreja pós-conciliar era exatamente a mesma Igreja de sempre e seu “exorcismo” contra o espírito do Concílio.

Certamente podia fazer mais e, em relação à sua renúncia, poderia ter feito menos, ou, melhor ainda, nada.

Mas, como católicos somos às vezes duros ao comentar uma ação, mas nos calamos benevolamente no que diz respeito à intenção.

Por isso, Santo Padre, estamos de joelhos, aos pés de vosso leito. Osculamos vossas mãos e desejamos que alcance a misericórdia do Supremo Pastor e Juiz.

Título e Texto: Padre Jerome Brown, FratresInUnum.com, 29 de dezembro de 2022 

Um comentário:

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-