quarta-feira, 11 de novembro de 2020

[Diário de uma caminhada] Adolfo Mesquita Nunes e os Novos Inquisidores


Gabriel Mithá Ribeiro
 

Ver Adolfo Mesquita Nunes, cuja liberdade individual sempre respeitei e respeitarei, ao lado de uma lista de 54 Novos Inquisidores que subscreveram o «Abaixoassinado: a clareza que defendemos» (Público, 10.11.2020), casta incomodada com a liberdade dos outros, dá que pensar. Imaginam-se as únicas «direitas democráticas» ressentidas com «uma afronta à sua história e o prenúncio de um colapso moral», coisa que não entendem o que seja. 

Se nunca tiveram a coragem de qualquer iniciativa semelhante contra a Esquerda, ao menos escrevessem a palavra CHEGA!, pois ela assenta-lhes que nem uma luva. A Direita decididamente tem de lutar pela sua Liberdade, e contra eles. 

Insisto com o sábio Olavo de Carvalho: «“Sou contra os extremismos de esquerda e de direita” é  autolisonja de medíocre» (https://olavodecarvalhofb.wordpress.com/2014/12/, dezembro de 2014, nº 931). 

Título e Texto: Gabriel Mithá Ribeiro, Vice-Presidente do CHEGA!, 11-11-2020 

Anteriores:
A direita e as direitas, por Jaime Nogueira Pinto (1)
O primeiro-ministro deve-me um pedido de desculpas. Ou não é digno do cargo que ocupa
Homenagem a André Ventura: a «Comunidade Moral Portuguesa» renasceu
Esquerda americana: a fonte da globalização da estupidez
«Justiça» não é «Igualdade»: retrato da violência mental dos nossos dias
Certinhos e bonitinhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-