sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

[Aparecido rasga o verbo – Extra] A Mulher Do Fim Do Mundo Será Sempre A “Voz Do Milênio”

Aparecido Raimundo de Souza 

FALECEU, NESTA QUINTA FEIRA, aos 91 anos de idade, de causas naturais, a cantora carioca da gema ELZA SOARES, nascida ELZA GOMES DA CONCEIÇÃO vinda ao mundo em 23 de junho de 1930. Considerada uma das maiores cantoras da música brasileira, gravou 34 discos, sendo seu último trabalho, o álbum “PLANETA FOME”, lançado há três anos atrás. 

Em 1999, Elza Soares foi eleita pela BBC de Londres, como a “VOZ DO MILÊNIO”. Nesse longo período de existência, viveu uma vida considerada apoteótica e intensa que emocionou o mundo não só pela sua personalidade marcante, como pela força e determinação. Jovem ainda, em 1950, começou a se apresentar em concursos de rádio, ganhando mais de uma dezenas deles. 

Elza Soares se casou com o camisa 7, o jogador ponta-direita do Botafogo Futebol de Regatas, Manoel Francisco dos Santos, o famoso “Mané Garricha”. Esse matrimônio durou mais de 16 anos, ou seja de 1966 a 1982. Na constância dessa união, veio ao mundo o único filho do casal , o “Junior”, todavia num acidente ocorrido em 1986 o garoto, aos 9 anos, veio a perder a vida. 


Além do Junior, a cantora e compositora deixa os filhos Dilma Soares, João Carlos Soares e Sara Soares. Dos seus discos, podemos destacar sucessos como “Mas Que Nada”, “A Mulher Do Fim Do Mundo”, “Maria Da Vila Matilde”, “Pra Fuder”, “Coração Do Mar”, “Luz Vermelha”, “Mania De Você”, “Que Estrago” e “Firmeza?!”, entre outros. 

O velório da artista acontecerá no Teatro Municipal, aqui no Rio de Janeiro, na Praça Marechal Floriano, s/nº, na conhecida Cinelândia. Inicialmente a cerimônia será aberta apenas aos amigos e familiares e, a partir das 12 horas, para o público em geral. Deixamos aqui, os nossos pêsames mais sinceros aos familiares, pela perda irreparável. Que o Pai Maior em sua infinita bondade traga PAZ e ALÍVIO aos seus sofrimentos.

Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, do aeroporto Tom Jobim, no Rio de Janeiro. 21-1-2022

Anteriores: 
Irrefutável 
O caso do porco subtraído 
Maçãs no escuro 
O “Piropo” 
Brincando de quem sabe mais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-