quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

[Observatório de Benfica] As eleições de janeiro de 2022 – ponto de situação

Mário Florentino

Rui Tavares – Na primeira semana dos debates foi considerado a revelação. Continuou em boa forma, embora agora já sem o efeito novidade.  A sua proposta é uma “eco-geringonça” com o PS e o PAN. Veremos se é desta que o teremos no Parlamento ou não. Se não conseguir, aconselhava-o a dedicar-se apenas à investigação e à História.

Cotrim de Figueiredo – Esteve em crescendo em todos os debates. Foi muito bom contra António Costa, e esteve ainda melhor no debate a 9 na RTP. O IL parece estar numa fase de crescimento, e pode ser decisivo para um Governo, se o PSD ficar à frente do PS. O partido transmite credibilidade, e conseguiu atrair nomes relevantes da sociedade civil, algo pouco comum na vida política portuguesa dos últimos anos, e que os partidos tradicionais não conseguem. Poderá ter um grupo parlamentar razoável. 

André Ventura – Esteve muito bem no início, e depois foi em decréscimo de debate para debate. Em qualquer caso, parece-me que mantém o seu eleitorado fiel, e em princípio terá uma excelente votação. A grande dúvida é se vai ficar ou não à frente do Bloco, mas não parece haver grandes dúvidas de que terá um grupo parlamentar forte, talvez com mais de 10 deputados. A comunicação social, salvo raríssimas exceções, continua a desprezá-lo e tratá-lo mal, não se apercebendo que essa atitude só favorece o candidato dito "populista". Estranho jornalismo este.

Inês Sousa Real – Tenta segurar o seu eleitorado, mas cada vez mais sob ataque dos partidos do centro-direita, como se viu no debate a 9. Parece estar em perda, podendo pôr em causa a eco-geringonça do Rui Tavares.

Francisco Rodrigues dos Santos – Esteve muito bem na maioria dos debates, e também no debate com todos. Mostra uma atitude combativa e uma argumentação eficaz. Está a tentar segurar ao máximo o eleitorado de direita, e evitar transferências para o Chega. Será que consegue? Veremos como corre a campanha.

Jerónimo e PCP – Primeiro foi o Jerónimo a ser operado, foi substituído pelo João Ferreira e pelo João Oliveira, um nos debates, outro na campanha. Agora foi o João Ferreira que teve Covid, e é substituído pelo Bernardino Soares (o da famosa gafe sobre a Coreia do Norte). Vamos ver que mais azares terá o PC. No entanto, ter azar cria empatia no eleitorado, o que poderá evitar uma noite eleitoral desastrosa.

Catarina Martins – A posição dela é difícil, depois de ter chumbado o orçamento. Dificilmente os eleitores de esquerda compreendem as vantagens em votar BE face a votar PS, depois desse chumbo. Se ficar atrás do Chega, será complicado aguentar-se na liderança do partido.

Rui Rio – O PSD não tem uma posição fácil, depois da turbulência interna. Precisa de ficar à frente de Costa, mas as sondagens não lhe dão esse lugar. Nos debates esteve em geral bem, e também bem no debate a 9. Parece haver uma certa onda favorável à mudança e a algum crescimento do conjunto dos partidos à direita do PS, e isso pode ser-lhe favorável. No entanto, precisa de ficar à frente do PS, ou de fazer algum acordo com o Chega (se houver maioria no Parlamento de centro-direita), e são dois obstáculos difíceis de ultrapassar, neste momento. A grande vantagem de Rio face a Costa é a imagem de seriedade e honestidade que transmite. Será suficiente?

António Costa – O PS está em clara perda, apesar das sondagens não o indicarem claramente. Nos debates, e outras intervenções, nota-se o cansaço de Costa. Não parece estar com grande vontade de continuar. Parece cansado do país, e o país cansado dele. O facto de dizer que abandona o partido se não tiver condições para governar não lhe é favorável, dando uma imagem de desistência. A possibilidade de ser Pedro Nuno Santos a suceder, e formar nova geringonça, ainda mais esquerdista que a anterior, também poderá roubar alguns votos ao PS. Conseguirá segurar o eleitorado na última semana da campanha?

FICA BEM 👍

“A Família Bélier” (2014). A Netflix continua a presentear-nos com bons filmes. Recentemente tenho descoberto alguns filmes franceses, e o último foi esta comédia dramática do realizador Eric Lartigau. Conta-nos as aventuras de uma família de surdos-mudos, com destaque para a filha adolescente que descobre um talento para o canto e deseja prosseguir o seu sonho. Recomendo.  

FICA MAL 👎

Anabela Neves, e a CNN Portugal. O jornalismo político e os comentadores já tiveram melhores dias. Foi penoso ver a parcialidade de alguns dos comentadores que comentaram os debates da pré-campanha. O sinal mais negativo vai para Anabela Neves, da CNN, que dizia que Costa ganhava todos os debates, mesmo quando era evidente que a sua prestação tinha sido desastrosa.  

Título e Texto: Mário A. Florentino, Benfica, 19 de janeiro de 2022

Anteriores: 
Professor Rebelo comenta os debates 
Resumo do ano de 2021: Vacinas. Testes. Cabrita. 
Professor Rebelo comenta Presidente Marcelo 
A Hora dos Liberais 
Professor Marcelo comenta o PSD e o Presidente 

2 comentários:

  1. No dia 30 de janeiro, se Deus quiser, votarei em quem a Esquerda ODEIA. Não em quem ela CONSENTE.

    ResponderExcluir
  2. FAÇA POR FAVOR UM TÓPICO DA MIGRAÇÃO DO POVO AMERICANO DE ESTADOS DEMOCRATAS PARA ESTADOS REPUBLICANOS.

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-