domingo, 9 de outubro de 2022

[As danações de Carina] Mensagens encantadoras e edificantes

Carina Bratt

‘Diálogo sem nexo:
— O melhor amigo do homem?
— O cachorro!
— E o melhor amigo do cachorro?
— A pulga!'
Aparecido Raimundo de Souza, do Rio de Janeiro.

TODOS OS DIAS recebo em meu e-mail, mensagens as mais diversas. Algumas leio e guardo, outras, de imediato envio para a lixeira. A maioria deleto, não respondendo e bloqueando o remetente. É o mínimo para não ficar estressada.

As mensagens inteligentes, as que me trazem coisas de útil e aproveitável, ou seja, as que me colocam para cima, reparto com meus amigos e amigas, e por agora, tomo a liberdade de, igualmente, dividir com a ‘Grande Família Cão Que Fuma’.

São pequenos mimos que merecem ser espalhados. Colecionei para as ‘Danações’ de hoje, algumas dessas relíquias que, tenho certeza, agradarão as minhas caríssimas leitoras de todos os domingos. Vamos a elas.

Comecemos pela Ana Lúcia Cordeiro, de Belo Horizonte, nas Minas Gerais:
‘Vou coletando memórias
e lapidando momentos...
Nós somos baús de histórias,
recantos dos sentimentos’.

De Fernando Antônio Belino, de Sete Lagoas, Minas Gerais:
‘Sem trégua, sigo na lida
por um mundo mais humano,
onde a defesa da vida
esteja em primeiro plano’.

De Leonilda Yvonneti Spina, de Londrina, no Paraná:
‘Intensa emoção me invade
ao rever o berço antigo;
e, passo a passo, a saudade
caminha, feliz, comigo’.

De Janete Francisco Sales Yoshinaga, de São Paulo:
‘O tesouro que mais prezo
está na fé pertinaz,
porque toda vez que rezo...
consigo dormir em paz!’.

De Clenir Neves Ribeiro, de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro:
‘Sei quanto vais demorar...
Mesmo assim tudo ofereço:
quem espera para amar
paga ao tempo qualquer preço!’.

De José Osmar Rios Macedo, de Feira de Santana, na Baia:
‘Repica suave o sino
da minha infância perdida.
São curvas do meu destino
Nos labirintos da vida’.

De Aparecido Raimundo de Souza, de Vila Velha no Espírito Santo:
‘Teu amor, que falta faz!
Teu abraço e carinho;
nada aqui me satisfaz
como é triste estar sozinho’.

De Euzinha, claro, aqui do Rio de Janeiro:
‘Morrer de amor – quem dera!
Eu partiria contente...
do outro lado à espera
seu amor, em mim, pra sempre!’.

Espero que as minhas amigas e leitoras gostem das trovas acima. Em outras oportunidades, publicarei. Até domingo que vem.

Título e Texto: Carina Bratt, da Lagoa Rodrigo de Freitas, no Rio de Janeiro. 9-10-2022

Anteriores:

2 comentários:

  1. O ESPELHO
    O homem não vê o espelho de suas atitudes,
    Não tem forças de quebrá-lo, vê-lo escondido,
    Sua vida espelha-se nos louros de suas virtudes,
    No seu mundo niilista, egoísta vivendo perdido.
    A natureza consegue ver-se no espelho do imenso,
    Ensandecida, destruída pelo homem e suas mazelas,
    Levando consigo passiva em seu natural bom senso,
    O homem virtuoso e covarde escondendo-se delas.
    Nada pode esconder, verdades e grandes mentiras.
    Aquele que ama, não mata, não destrói, nem se esconde,
    A idade chega e o novo torna-se idoso e velho,
    Os amigos fogem ou se esvaem num maço de tiras,
    E no flagelo da morte incansável encontrar-se por onde,
    O único amigo que sempre houvera consigo, seu espelho.
    VSROCCHA em 1976
    Bons pensamentos

    ResponderExcluir
  2. https://www.youtube.com/watch?v=XF2Squgk_2Y&t=10s

    MÚSICA:
    "DREAMSVILLE"
    IDEALIZADORES
    APARECIDO RAIMUNDO DE SOUZA E OZIEL PEÇANHA
    INTERPRETE:
    JORGE DA SILVA "MAJESTADE"
    ALBUM:
    "POESIAS COM MAJESTADE"
    GRAVADORA:
    CASTELINHO - RIO DE JANEIRO.

    CONTATO:
    TWITTER:
    @CarinaBratt
    @ARSESCRITOR

    Aparecido Raimundo de Souza
    de Andirá no Paraná.

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-