terça-feira, 15 de dezembro de 2020

[Aparecido rasga o verbo] E o Paulinho seguiu A Viagem... Pegou o Trem azul...

Aparecido Raimundo de Souza


PASSAMOS PARA DEIXAR, em nome da Família ‘Cão que Fuma’, os nossos mais sinceros pêsames à família e aos amigos do vocalista e percussionista da Banda ‘Roupa Nova’, nosso amigo, PAULO CÉSAR DOS SANTOS, o ‘PAULINHO’ nascido aos 6 de setembro de 1952, no Rio de Janeiro e falecido nesta segunda-feira (14) no Hospital Copa D’Or, Zona Sul da Cidade Maravilhosa, aos 68 anos, vitimado pela COVID-19.

Paulinho deixa a esposa, Elaine Bastos, e os filhos PEPÊ, de 32 anos, baterista da Banda JAMZ, e a cantora, compositora e atriz, TWIGG, de 40 anos, bem ainda a netinha Bellinha, filha de seu filho Pepê com a farmacêutica Katia Magalhães.

Paulinho entrou para o Roupa Nova em agosto de 1980 onde cantou e encantou seus fãs por mais de 40 anos. A sua voz, as suas canções, vão deixar saudades.

NADA MAIS A DIZER. Fica aqui, a nossa ETERNA SAUDADE.

Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, de São Paulo Capital, 15-12-2020

Colunas anteriores:
Inferno
Anjos de asas cortadas
O sublunado da poça de água suja
Lados opostos
Tarja com caveira
Mala sem alça

4 comentários:

  1. O roupa nova fez parte da minha adolescência, dancei muito ao som das belas canções desse maravilhoso grupo. Ainda amo ouvi- Los, não me canso. Paulinho será eternizado por suas canções e sua bela voz. Vá em paz, cante e encante os 👼 no céu. Deixará eternas saudades.

    ResponderExcluir
  2. Nos anos 80 eu frequentava o Le Bateau na praça Serzedelo Correia, e assistia Alcione, Clara Nunes e Elke maravilha na galeria Alaska. Cansei de comer no madrugadão na Fiorentina onde as mesmas também faziam refeições. Fui sócio do clube do taco onde Paulinho da Viola frequentava e adorava seus shows. Curti muito Jamelão e Nelson Gonçalves. Em Porto Alegre havia um bar chamado Chão de Estrelas onde Adelaide cultivava os artistas de classe, inclusive Cauby. Outro bar era o Gente da noite famosa música de Túlio Piva. 3 cantores brasileiros continuavam cantando mesmo que faltasse luz, Nelson Gonçalves, Cauby Peixoto e Jamelão. Até hoje ainda curto suas músicas. Morei mais de 10 anos no edifício Master na domingos Ferreira 125, meu chope predileto era no Cabral 1500. Infelizmente não curti Roupa Nova. Suas músicas até que eram ótimas, mas não de meu gosto. Apenas sinto que acabou a poesia de nossas músicas.
    Sou apenas um rapaz, ainda, latino americano...
    Há 54 anos, em 15 de agosto de 1966, Orestes Barbosa nos deixava depois de marcar o seu nome não só no jornalismo, mas também na música.
    Continuo um boêmio adoro a noite, Gostava dos striptease e das dança nos queijinhos, mas até isso acabou.
    Meu melhor momento musical na vida era no PIER NORTE DE CHICAGO POIS SEMPRE FUI FÃ DE BLUES.
    Hoje prefiro o som de raiz do country rock americano e brasileiro, rejeito a gritaria dos sertanejos, quem não gosta de Almir Sater e sua "tocando em frente" não tem gosto musical.
    fui...

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. https://twitter.com/LorenzonItalo/status/1339565427274485760/photo/1

      Excluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-