sábado, 12 de dezembro de 2020

Postura de Sá Pinto no CT ganha prestígio no Vasco

Com um aproveitamento de apenas 30,5%, Ricardo Sá Pinto está pressionado no Vasco. Grande parte da torcida se posiciona contra seu trabalho, assim como também alguns conselheiros, que preferiam que o português já tivesse sido demitido. Internamente com o elenco, já teve alguns atritos, mas saiu fortalecido após o episódio de invasão de uma organizada ao centro de treinamento do clube, na última quinta-feira (10). 

A postura do treinador de tomar frente na conversa com os manifestantes cara a cara, proteger seus jogadores e defendê-los das acusações de "corpo mole" foi interpretada internamente como uma grande atitude de liderança, não deixando o grupo "na mão" diante dos invasores.

Até mesmo nas redes sociais, onde o técnico tem sido criticado, elogios aconteceram em relação ao seu posicionamento. 

Presidente do Vasco, Alexandre Campello, resiste a pressão sobre os pedidos de demissão, e dá um voto de confiança ao treinador, levando em consideração a série de desfalques que ele teve por conta da Covid-19 e também a semana livre para trabalhar que está tendo agora.

Outro ponto que pesa é a dívida que uma rescisão contratual agora pode causar, além da dificuldade de encontrar um técnico que abrace a missão de tirar a equipe da zona de rebaixamento em um clube sem o futuro presidente definido e com o atual terminando o mandato em 15 de janeiro de 2021.

Porém, um resultado adverso amanhã (13), no clássico com o Fluminense, em São Januário, colocará novamente Ricardo Sá Pinto com o cargo ameaçado.

Seu vínculo atual com o Vasco vai até o fim do Campeonato Brasileiro, que se encerrará em fevereiro de 2021.

Sá Pinto tem "alívio" da Covid-19 no elenco

Ricardo Sá Pinto terá um problema a menos para o decisivo clássico deste domingo (13). O treinador viu diminuir os casos de Covid-19 no elenco e terá mais opções para escalar o Vasco na partida.

O português convive com desfalques oriundos do coronavírus desde sua chegada ao clube, em outubro. O próprio lusitano foi uma das vítimas e testou positivo, ficando fora da beira do campo em duas oportunidades cumprindo o protocolo de isolamento. Na avaliação de Sá Pinto, o problema acabou atrapalhando a evolução da equipe sob seu comando.

"Infelizmente, a questão da Covid-19 abalou o nosso time. Se perdeu jogadores e membros da comissão técnica. Tirou a dinâmica do bom jogo e dos resultados. Depois, fizemos um bom jogo, mas fomos eliminados injustamente na Sul-Americana. Isso também afeta a equipe. O time sentiu essa derrota para o Defensa y Justicia pois tínhamos alta expectativa na competição", disse durante entrevista coletiva após a goleada por 4 a 0 sofrida para o Grêmio.

"Vamos ter uma semana de treinos, com tempo para treinar e levantar o astral. Precisamos do descanso, analisar bem o jogo, eu não gosto de falar muito aqui. Prefiro analisar e melhorar. Acredito que vamos sair dessa situação, não tenho dúvidas. Acredito que teremos bom resultado contra o Fluminense", acrescentou.

O Vasco já teve ao menos 45 testagens positivas para Covid-19 nesta temporada, considerando também o período pré Ricardo Sá Pinto, isso contando somente jogadores e treinadores (além do português, o ex-treinador Ramon Menezes também foi infectado). 

Fonte: UOL, via SUPER VASCO, 12-12-2020, 7h58 

Relacionados:
Confira imagens e vídeos da invasão ao CT do Almirante
Opinião: a culpa é do 3-5-2 ou o esquema certo caiu em mãos erradas?
Números mostram que Cano é fundamental para o futuro do Vasco e de Sá Pinto
A goleada sofrida para o Grêmio aumentou a pressão sobre o técnico Ricardo Sá Pinto no Vasco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-