sábado, 20 de novembro de 2021

Lá voltam eles

José Mendonça da Cruz

Lá voltam os «especialistas de saúde pública», de debaixo das suas pedras, alacres -- decerto alheios ao estado catatónico do SNS e à legião dos mortos por falta de atendimento a tempo -- aaahhhhh, ou é como digo ou vamos morrer todos, a culpa é vossa!

Lá voltam as reuniões intrigantes do Infarmed, mal enjorcadas, torcidamente concluídas, de conclusões brancas ou pessimamente divulgadas, aaahhhh, horror, estamos à beira da tragédia!

Lá vem Costa e os seus farejando uma boia de salvação, é o horror, é o fim, votem em nós senão morrem.

Lá vêm os jornalistas amestrados e incompetentes em mistura indistinguível, são 1.000, são 2.000, são 3.000 amanhã, 10.000 na 5ª semana de fevereiro, votem PS ou amanhã morrem.

Lá vem o Presidente e diz coisas.

Sim, e quantos casos são por causa do Covid, e quantos também com Covid? Quantos são casos graves, ou preocupantes, ou sequer de algum cuidado, ou simplesmente 37,5 de febre e uma tosse, como seis familiares meus? Não se sabe. Os «jornalistas» não querem saber.

Um palerma na RTP, trazido a esta triste fama, quer, o tonto, fechar fronteiras, fechar restaurantes, fechar os espaços públicos, viver do ar. Ponham máscaras, não respirem, escondam-se em casa, não bebam nem comam, borrifem em família, trabalho, amigos, fujam!, tremam de medo!

É preciso vacinar!, dizem eles. A vacina de nada serve!, inculcam eles. Eu, vacinado, aprendo que a vacina não serve de nada, vamos morrer todos!, dizem eles. A mim, vacinado, chamem-me negacionista; eu chamo-vos moluscos («T’es comme une moule, mon frère, t’es comme une moule!»).

Ovelhas, todas em coro, digam outra vez: Bééééééééééééééééé!

Título e Texto: José Mendonça da Cruz, Corta-fitas, 19-11-2021

2 comentários:

  1. Minha opinião.
    DURANTE MEUS 33 ANOS DE SERVIÇO TOMEI TODAS AS VACINAS POSSÍVEIS.
    Nunca tive sarampo, coqueluche e outras doenças infantis.
    Há diferenças entre vacinas e soros.
    Todas as chmadas vacinas contra gripe são soros vacinatórios anuais.
    A vacina do tétano por exemplo é um soro anti tétano.
    Vacinas contra a raiva e picadas de cobras, escorpiões e inclusive de abelhas são soros
    Hipotéticamente, vacinas deveriam ser para sempre, por toda a vida.
    Soros são vacinatórios são anuais ou em caso extremo contra animais por causa da raiva e seus venenos.
    Acho que a máscara deveria ser usada por pessoas com gripe.
    Eu uso em casa quando minha esposa faz galinha, detesto cheiro das penosas.
    fui...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tomei todas as vacinas e soros possíveis.
      Tomei a primeira 'vacina' antigripal quando trabalhava na Varig, e assim todos os anos até ao presente. Nunca mais tive gripe! (Batendo na parede três vezes.) Já lá vão uns trinta anos. (Tem anos que tomo duas: no Rio, em julho/agosto e em Portugal, novembro/dezembro).
      Quanto à da covid, embora sempre desconfiando da sua eficácia - o que está comprovado - tomei as duas, tomarei a terceira dose em janeiro de 2022, e todas as doses (reforços) que se seguirão, até 2030...

      Excluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-