quarta-feira, 3 de março de 2021

[Atualidade em xeque] Privatiza tudo?

José Manuel


A "onda da vez" é essa frase dita pela maioria política que não sabe, nem nunca soube, o que fala, apenas enxerga cifrões e benesses à sua frente.

Não sou a favor e sei muito bem o que estou escrevendo, mas, enfim, apenas expresso minha opinião, como cidadão e patriota.

Primeiro, o Brasil não é a Inglaterra e Margaret Thatcher não nasceu por aqui ao que me consta. Apenas querem seguir erroneamente os exemplos do liberalismo econômico da Dama de ferro sem saber o que fazem, ou melhor, sabem e se aproveitam do exemplo inglês para faturar.

Então, esse papo furado de Privatiza Tudo só sai das bocas coroadas, pelo que isso pode significar a f$uturo, pois aqui pelas bandas tupiniquins, privatizar significa doar desde que o deles esteja garantido, sem o menor sentimento de patriotismo.

Ativos valiosos, estratégicos e pertencentes ao povo, se administram, se gerenciam, enxugam-se, mantém-se com auditorias, estipulam-se metas, praticam-se EPP'S com seriedade, patriotismo e não se entregam de mão beijada.

E o povo, dono de tudo, é quem tem que dizer se pode ou não pode, não aquela politicalha rançosa que conhecemos.

Mas, isso é um processo de desmonte proposital que vem ocorrendo há muitas gerações, com o firme propósito de desvalorizar as instituições e gerar uma má fama junto à população afim de facilitar o butim f$uturo, o que está evidente como o caso dos Correios & Telégrafos empresa fundada como Correio Mor em 1663, por tanto com apenas 358 anos!

Durante o regime militar, onde a trapaça política era perigosa e punida, os Correios eram altamente rentáveis e uma das principais joias da coroa. Por quê?

Todo mundo sabe o que os calhordas do PT fizeram com essa instituição e com o fundo de pensão dos funcionários.

Agora, depois de vilipendiada, arrasada querem se livrar dela. Por quê?
Dá trabalho pra consertar?
Cadê a capacidade de gestão?
Cadê a visão estratégica?
Z E R O!
VERGONHA!

E assim ocorreu com a Companhia Siderúrgica Nacional que desde os anos 80 só pra dar um pequeno exemplo, não fabrica 1 (UM) metro de trilhos, num país altamente rico e exportador de minério de ferro, preferindo importar da China os trilhos das nossas ferrovias. Ou será que já são deles também?

Inacreditável isso acontecer num país que teve uma das maiores malhas ferroviárias do mundo e tem know-how para executar tudo em termos ferroviários!

Aquele que se der ao trabalho de pesquisar neste aparelhinho que você tem na mão, sobre o que o Deputado Enéas Carneiro falava sobre a privatização da Vale do Rio Doce, vai ficar horrorizado com a montanha de dinheiro que daria para fazer um país hoje sem nenhum tipo de problemas sociais como os que estão aí, e que foi pelo ralo e para gordas contas correntes no exterior.

Preferiram entregar esse diamante bruto a preço aviltante ao país e hoje mal e mal recebemos apenas os impostos subfaturados é claro, do minério exportado, um Vale e um Rio destruídos num dos maiores crimes ambientais do mundo sob patrocínio de uma privatização criminosa que nem indenizar o país e o povo sofrido pelo desastre, foi capaz! Alguma dúvida?

E a Eletrobras? O mesmíssimo passado das anteriores, sendo de uma altíssima importância estratégica sem nenhuma dúvida em países sérios.

O dia que aparecerem os editais de " doação " os chineses já estão preparados para comprar tudo, claro, com as cartas todas marcadas com muita antecedência.

O argentino Mercado Livre por exemplo, de olho no filé mignon dos Correios, está se preparando até com uma frota de aviões! Só pra nós não vale nada né?

A Petrobras, deixo para os leitores a tarefa de se lembrarem de "Pasadena", por exemplo, chorarem um pouquinho pagando a gasolina quase a R$ 6,00 o litrinho e fatos recentes conhecidos.

Banco do Brasil com ex-presidente petralha preso e por aí vai.

Só espero que o atual presidente saiba o que está fazendo com a EPL, a estatal do trem bala desde o último governo petralha, e que continua pagando os honorários a 125 funcionários. Por quê?

A história tem que ser revisitada e mostrar que no período militar essas empresas deram ao Brasil um PIB superior ao da China e tigres asiáticos. 41 anos depois nosso PIB é 6,7,8 vezes menor que o deles. São melhores que nós? Não, mas eles agradecem a nossa pasmaceira institucional!

Antes de começar a vender tudo, seria melhor nos lembrarmos sempre de duas coisas:

A musiquinha do Paulinho da viola, "Dinheiro na mão é vendaval"; 
e não continuarmos a ser vergonhosamente colonizados, claro, em pleno século XXI.

Título e Texto: José Manuel, 3-3-2021

Um comentário:

  1. Na manhã desta terça-feira (2), o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse em participação no podcast Primocast, que “o Brasil é um país com 200 milhões de trouxas sendo explorados”, ao referir-se ao tamanho do Estado e à desvalorização da classe média. Guedes defendeu a privatização de estatais, e afastou as críticas que vinha recebendo após a intervenção do Planalto na Petrobras.

    Segundo ele, a principal via para diminuir a máquina pública e aumentar o caixa é a venda das grandes estatais do país. Além disso, o ministro defendeu as reformas, que, após a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) Emergencial, devem ser pautadas no Congresso.

    Quando perguntado sobre o desafio de pautar essa possível solução no Congresso, Guedes explicou que “a primeira dificuldade é que tem muita gente pendurada lá. Os lobbys são muito fortes das estatais. São os chamados ‘piratas privados’’’.

    Fonte: Economia - iG @ https://economia.ig.com.br/2021-03-02/guedes-dispara-brasil-e-um-pais-com-200-milhoes-de-trouxas-sendo-explorados.html
    “O Estado empresário faliu, acabou. O Brasil foi um dos países que mais gastou com educação, mas a grana não chega. O Estado gasta muito e gasta mal”, afirmou o ministro.

    Fonte: Economia - iG @ https://economia.ig.com.br/2021-03-02/guedes-dispara-brasil-e-um-pais-com-200-milhoes-de-trouxas-sendo-explorados.html

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-