quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Miguel Sousa Tavares defende as touradas!

Estava jantando na Pensão “Gabriela, Cravo & Canela”, a TV ligada na SIC, quando escutamos a benfazeja notícia da “exterminação” das touradas na Catalunha.

A Praça Monumental de Barcelona recebeu a última corrida de touros da sua história. A proibição das touradas na Catalunha entra em vigor a 1 de Janeiro. A última corrida terminou com a invasão da arena e faz as primeiras páginas de todos os jornais espanhóis.
SIC, 27-09-2011


Ainda nos regozijávamos quando ouvimos as primeiras palavras do Sr. Miguel Sousa Tavares. Pararam os garfos. Pousaram-se as facas. Olhares cruzaram-se “será mesmo??...” Mas, MST continuou, impávido, a debitar “argumentos” favoráveis à matança de touros:

Proibição de touradas: "É o caminho da estupidez"
O comentário de Miguel Sousa Tavares, no Jornal da Noite da SIC, sobre o fim das touradas na Catalunha

Falta de democracia?!
Se, efetivamente, não houvesse Democracia, as touradas sequer se realizariam pois teriam sido invadidas pela “maioria” que as impediria de começar. Maioria que, pelo que sei, tem-se limitado a se manifestar do lado de fora dessas sangrentas arenas.

Falta de respeito pelas minorias?!
A História está cheia de (felizes) exemplos de (providencial) falta de respeito pelas minorias. O leitor saberá listá-las.

Falta de cultura?!
Pintores famosos também pintaram o sacrifício de cristãos nas arenas romanas… pintaram guilhotinados, enforcados… pintaram uma tal Joana D’Arc morrendo queimada… Escritores famosos escreveram sobre a Inquisição… Pintores famosos e desconhecidos, escritores famosos e desconhecidos e historiadores “pintaram” a indústria da escravatura.

Enfim, uma pena, todas essas “culturas” terem sumido da face da terra graças à tenacidade de uns parvos antidemocráticos e analfabetos de pai e mãe. Ah, se eles fossem cultos!...

Continuando, que falta farão à Humanidade esses touros (de morte), dos quais o Sr. Sousa Tavares está muito preocupado com a extinção? Qual é a graça em criar animais destinados a serem feridos no dorso e depois mortos com uma espada no coração (isso quando o carrasco acerta à primeira) à vista de outros seres, humanos?!

A Espanha depende das touradas?!
Ah, é? E o que dizer, por exemplo, da indústria da escravatura quando era abolida/extinta em determinada nação? Coitados dos azafamados mercadores, ficaram na rua da amargura. Aliás, falando em escravidão, parece até que num poderoso país houve uma matança generalizada, quer dizer, humanos mataram outros humanos compatriotas. Tudo porque uns eram a favor da “cultura” da escravidão, outros eram contra. Que bom que estes ganharam!

Uma atividade importante na Espanha?!
Sim, claro! Como foi importante a atividade da escravidão: uns caçavam, outros vendiam, aqueloutros revendiam, outros transportavam, uns construíam os meios de transporte, etc… ufa! Era uma atividade febril.

Comparar o “espetáculo” da morte de um ser vivo à corrida de automóveis?! Como assim? A corrida de automóveis é um esporte perigoso, não cruel. A luta de boxe é um desporto, na minha opinião, estúpido, não cruel. Existem muitos outros esportes que são muito perigosos, isto é, os seus praticantes correm risco de morte. Eles o praticam, por livre e espontâneo arbítrio, raciocinam, pensam, escolheram… não são engordados para isso.

2 comentários:

  1. De Fátima Lopes:

    Nossa, Jim... que dor de tristeza maior olhar essa foto... sacanagem... vixe... como podem fazer isso... são + animais que os bichinhos essas criaturas... imagina o que esses imbeciis fariam com um ser humano, heim Jim????? Raça ruim... acredita que foi um choque... até chorei inho amigo... revoltante!
    Fátima Lopes

    ResponderExcluir
  2. De Lícia Marques:

    Esse MST (sem trocadilho com a coincidência das iniciais com uma sigla) trilhou mesmo "o caminho da estupidez" ao fazer o lobby da barbárie.
    Podemos compreender, sem nenhum grande esforço intelectual, que as tais "corridas", os rodeios, as Farras do Boi e outras crueldades contra os touros - e os representantes de várias outras formas de vida animal - formam uma tradição sangrenta que precisa, sim, ser abolida em todo o planeta, mesmo que "minorias" as defendam/pratiquem sob qualquer pretexto, antes que esses tipos de vidas se extingam não por causa de uma proibição, mas devido à sanha assassina do ser humano travestida de espetáculo, como leões na arena do Coliseu comendo cristãos ou gladiadores se matando tranquilamente para que os romanos se divertissem, acusados de bruxaria sendo queimados nas fogueiras acesas durante a Idade das Trevas para que os sádicos de plantão comentassem os gritos, ou mesmo Tiradentes sendo enforcado, esquartejado e tendo os despojos puxados por alguns cavalos pelas ruas, para infundir no povo o terror de uma pena semelhante durante a Inconfidência Mineira.
    As "minorias", felizmente, às vezes precisam mesmo ficar à sombra; a Catalunha acaba de dar um excelente exemplo de bom senso ao adotar essa medida, e justamente pela Espanha ser democrática, os adeptos das touradas respeitarão o que foi decidido.
    Numa democracia, artistas se manifestam, mostrando com suas obras muitas barbaridades perpetradas em nome até da Cultura, portanto, não é preciso inventar que os touros acabarão extintos, já que eles podem ser criados para exposições, nas quais os donos continuarão a faturar muitíssimo alto com vendas e cruzamentos, por exemplo; ou o MST acredita que a agroindústria e o agronegócio vão eliminar esses segmentos de mercado em todo o mundo?
    A Espanha não depende das touradas para se destacar como pólo turístico ou como democracia, pois seu povo é muito inteligente, culto, e dedicado a todas as atividades que dispensam a estupidez humana, como a História prova sobejamente.
    Há esportes que geram altos riscos para os adeptos, como a Fórmula 1 ou o boxe (e eles têm a liberdade de escolha para praticá-los) mas nada que se compare a rinhas de galos, cães ou touradas, as quais nada têm de democráticas, uma vez que os pobres bichos - que não sabem nem o que pode ser uma "escolha" - desde filhotes são vítimas de violência psicológica e física durante os treinos, e muitos morrem nesses confrontos; os sobreviventes, assim que envelhecem ou começam a perder um número "X" de lutas, acabam descartados no meio de alguma estrada ou rua, e como não confiam no ser humano, muitas vezes, devido ao condicionamento, partem para o ataque; se não fosse assim, como explicar boa parte das tragédias envolvendo determinadas raças que ainda ficam estigmatizadas como agressivas, e aí sim, correm o risco de extinção?
    De fato, meu amigo, cansa. A estupidez humana satura qualquer um.
    E viva a Espanha! Longa vida e prosperidade ao povo da Catalunha!
    Lícia Marques

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-