segunda-feira, 26 de setembro de 2011

O homem que foi quinta-feira

No vídeo abaixo, vocês encontrarão um trecho de um dos mais interessantes livros de Chesterton. É de se perguntar qual de seus livros não é interessante? O policial filósofo fala por Chesterton desde um ponto de vista tomista, analisando o poder destrutivo da filosofia moderna, que é muito mais deletéria que o crime com que os policiais normais se defrontam diariamente, e muitas vezes a origem destes. Note que Chesterton dá à filosofia uma organização de sociedade secreta, com um círculo externo e um círculo interno. Esta alusão é prenhe de significados e uma verdade quase sempre ocultada, escamoteada, ou simplesmente desconhecida de muitos. Chesterton claramente estava consciente do poder das organizações secretas nas origens das idéias filosóficas modernas.
A tradução das falas foi feita pelo leitor do blog e meu amigo Wendy; sim, o protestador (protestante?) Wendy. O blog agradece penhoradamente!
Antônio Emílio Angueth de Araújo, Blog do Angueth


Enviado por André Bereta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-