sábado, 25 de agosto de 2018

[Versos de través] Mal amado!

Paizote Marques


Muito amei nesta vida,
Hoje... meio desolado!
Chamei muitas de querida,
Sem jamais ter sido amado.

Sempre exigi demais de mim,
E por quem me apaixonava.
Fui ficando meio. Assim!
Enquanto a paixão passava.

Nenhuma chegou a me amar,
Nem sequer me convencer.
Depois de algum tempo tentar,
Corriam a me esquecer.

Hoje tenho uma companheira!
Por quem tenho algum carinho.
Não encontrei outra maneira,
Pois não sei ficar sozinho.

A coisa que eu mais quero,
E peço a todas as divindades!
Antes de partir o que espero,
É ir, deixando saudades.

Um sábio amigo recomenda!
Tenha fé!...talvez possa ajudar!
Vou partir para nova emenda.
Talvez sirva para os teus...
Comigo não vai funcionar.
Conto com solução assim,
Não preciso crer em Deus,
Bastava ELE crer em mim!
Título e Texto: Paizote Marques, 25-8-2018

Anteriores:

4 comentários:

  1. Sugiro trocar o Mal amado por Mal pago!

    ResponderExcluir
  2. Hoje recebi aquele comunicado padrão do facebook , de que tive 7000 likes (👍🏽).C omo não tenho nenhum "amigo" na minha pagina estranhei!
    . Não creio na profundidade e autenticidade de amizades feitas só pelas redes! No entanto fepois da última poesia que postei ,recebi até xingamentos.😊 Ainda falarei sobre isto...bom dia a todos!🐢

    ResponderExcluir
  3. Coisas que dizem ser básicas em relacionamento;
    Não discutir política e religião, não explicar piadas ou poesias!
    Eu discordo!
    Política e religião devia sim, ser discutido!
    Só não é feito quando as pessoas deixam suas paixões tomar conta, e não aceitam a opinião divergente.
    E por falta argumento, partem para agressão verbal!
    Já quanto a explicar piadas ou poesia, não tem nenhuma lógica!
    Quem não entender, ignore.
    Se for preciso explicar, como estou fazendo , perde o sentido!
    A alegação foi de que é uma agressão à fé de alguns!

    Quando digo que;
    ‘Um sábio amigo recomenda!
    Tenha fé!...Talvez possa ajudar!
    Vou partir para nova emenda.
    Talvez sirva para os teus...
    Comigo não vai funcionar.
    Conto com solução assim,
    Não preciso crer em Deus,
    Bastava ELE crer em mim! ’

    Especialmente nos dois últimos versos!
    Confirmo ninguém precisaria crer em Deus, desde que ELE acreditasse em todos!

    Se for preciso “CRER” no Deus, abre-se a possibilidade da não existência do mesmo, e que dependeria da minha crença ELE existir ou não!
    Quando digo que bastava ELE crer em mim, estou afirmando a sua existência, e talvez o não merecimento da sua atenção .

    Isto ocorre também quando cito a não existência do “livre arbítrio”!
    Ou seja, eu só posso fazer aquilo que for permitido pela divindade, se a divindade não quiser que eu faça, ou não consinta algo, minha vontade não prevalece, pois não sou poderoso que possa fazer algo que contrarie a vontade ou permissão de Deus!

    Tudo é com a permissão Dele, mesmo o mal, do qual sofrerei as consequências.
    Deus é o bem maior, e nenhum mal ou bem, existiria sem sua permissão!
    (apesar de na maioria das vezes não entendermos!)
    .
    Quanto às críticas, não me aborrecem!
    Aqui mesmo ela se inscreve, quando discordo de certos posicionamentos, com os quais não concordo, pois não consigo "engolir"!
    Como podem ver, faço por merecer faço por merecer as críticas!

    A pretensa ofensa de um anônimo é que me irrita! 🐢
    paizote

    ResponderExcluir
  4. Apenas comentando sobre livre arbítrio, sem contestar suas palavras.
    A visão libertária declara que algumas decisões e ações humanas, particularmente decisões morais e religiosas, são são sem causa nenhuma.
    Como já falei anteriormente, o libertário está sempre consciente que desejos são em uma função da nossa hereditariedade, meio-ambiente, decisões passadas e assim por diante. (TELURISMO)
    Se decidir livremente são desejos, ele pensa, eles não podem ser livres. São totalmente sem causa.
    Isso é responsabilidade moral.
    Ninguém é responsável por um ato, se “pudesse ter agido de outra forma”.
    Somente no cristianismo DEUS é a primeira causa, e essa dialética faz que nossos impulsos morais sejam relativos.
    Temos liberdade para esquecer traços telúricos, e ofender a moral não tem desculpas.
    João 8:32,36. Neste sentido, o homem caído está em escravidão, não sendo capaz de evitar o pecado. Somente a graça de Cristo pode libertá-lo.
    ISSO É UM ABSURDO.
    Temos liberdade de pecar, ponto...
    fui...
    Ler John Frame

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-