domingo, 4 de abril de 2021

Com 84 anos, Agnaldo Timóteo morre de covid-19 no Rio

Cantor estava hospitalizado desde o dia 17 de março

Vladimir Platonow

Morreu neste sábado (3), o cantor Agnaldo Timóteo, vítima da covid-19, aos 84 anos. Ele estava hospitalizado desde o dia 17 de março, no Rio de Janeiro. A notícia foi confirmada em nota publicada pela família do artista.

“É com imenso pesar que comunicamos o falecimento do nosso querido e amado Agnaldo Timóteo. Agnaldo Timóteo não resistiu às complicações decorrentes da covid-19 e faleceu hoje às 10h45. Temos a convicção que Timóteo deu o seu melhor para vencer essa batalha e a venceu. Agnaldo Timóteo viverá eternamente em nossos corações”, disse a família.

Mineiro de Caratinga, ele foi ainda jovem para o Rio em busca de oportunidades, onde foi ajudado pela cantora Angela Maria, tendo gravado o seu primeiro disco em 1961, aos 25 anos de idade.

Dono de uma voz potente, sua carreira foi se fortalecendo, até estourar nas paradas em 1967, com o disco Obrigado Querida, com a canção Meu Grito, de Roberto Carlos, ficando em primeiro lugar nas principais rádios do país. O disco veio ainda com dois grandes sucessos da sua carreira: Mamãe Estou Tão Feliz" (Mamma) e Os Verdes Campos da Minha Terra. Segundo o próprio Agnaldo, Meu Grito consolidou a sua carreira.

Sua popularidade era baseada em um repertório romântico e na potência vocal. Tinha público cativo em todo o país, fazendo shows que lotavam os auditórios com seus fãs.

Gravou 64 discos em sua carreira. Em janeiro deste ano, comandou uma apresentação beneficente pela internet aos pés do Cristo Redentor, uma de suas últimas aparições públicas. Era torcedor fanático do Botafogo, clube que divulgou nota lamentando sua morte.

Política

O cantor também trilhou o caminho político. Em 1982, foi eleito deputado federal pelo PDT no Rio de Janeiro, com mais de 500 mil votos. Depois, ingressou no extinto PDS, cumprindo o restante de seu mandato. Ele se candidatou ao governo do Rio, em 1990, sendo derrotado. Em 1993 transferiu-se para o extinto PPR. Voltou à Câmara Federal em 1995. Em 1997, concorreu a uma cadeira na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, pelo extinto PPB, alcançando a maior votação do partido.

Tentou a reeleição no pleito municipal de 2000, mas não obteve êxito. Transferiu-se para São Paulo e retomou a carreira política ao candidatar-se a vereador em 2004, pelo PP. Foi reeleito em 2008 para novo mandato como vereador paulistano, cargo do qual licenciou-se em 2010 para concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados. Porém, obteve apenas uma suplência. Foi candidato à reeleição em 2012, mas não obteve votação suficiente. Deixou a atividade política para voltar a se dedicar à música.

Título e Texto:  Vladimir Platonow; Edição: Kelly OliveiraAgência Brasil, 3-4-2021, 17h50 

Agnaldo estava internado desde o dia 17 de março na UTI do Hospital Casa São Bernardo, na Zona Oeste do Rio. Médicos acreditam que o artista de 84 anos contraiu o coronavírus no intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina. Ele chegou a tomar a segunda dose, no dia 15, dois dias antes da internação. G1

3 comentários:

  1. Morrem os grandes cantores brasileiros, sobrevivem os gritantes, as hemorroidas da voz, MCs, rappers, e a fuleira música sertaneja.
    Todas as músicas tem no máximo 12 acordes musicais, eles transformaram no Brasil para 3 ou 4 assim todos cantam ou gritam.
    FUIIIIIIIIIIIIIIIIII

    ResponderExcluir
  2. Meu pai gostava de ouvir boa música: Agnaldo Timóteo, Cauby Peixoto, Nelson Gonçalves, Angela Maria, Jessé, Carlos José, Onésimo Gomes, Silvio Caldas,Orlando Silva, Cascatinha&Inhana, Altemar Dutra, enfim... Uma plêiade de artistas que cantavam e encantavam. E ele tinha todos os discos (os bolachões) que viraram CDS's. E eu aprendi a amar estas canções todas. Com a morte dele, carreguei todos os LPs para minha casa. Hoje temos bons interpretes: vou declarar alguns: Pabllo Vittar (percebam que voz linda e encantadora) Gretchen (inimitável,suas canções são verdadeiros bálsamos para os ouvidos),Annita (põe Vanusa, Édit Piaf e até a cantora portuguesa Mariza no bolso), Imaginem a Ludmilla cantando 'Princesa do meu lugar' do Belchior. Fico imaginando estas desgraças todas, se o Flávio Cavalcanti estivesse vivo. Meu pai dizia que o Flavio quebrava os discos em seu programa. Hoje não temos um Flavio Cavalcanti. Temos, sim, um bando de baderneiros de ouvidos podres, de escutadores de fofocas entupidos, apresentadores famosos que endeusam estas barbaridades e aberrações, que se acham os reis e as rainhas das cocadas pretas e brancas. Flavio, cadê você??!!
    Carina
    Ca
    do Sitio Shangri-La - divisa ES/MG.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembro de alguns jurados do Flávio Cavalcanti: Sérgio Bittencourt, Maestro Erlon Chaves, do estilista Dener e do mal-humorado José Messias…

      Excluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-