quarta-feira, 14 de julho de 2021

Ana Paula Henkel vence Casagrande e Globo na Justiça

Comentarista processou o ex-jogador e o veículo de comunicação por causa de artigo publicado no portal globoesporte.com

Edilson Salgueiro

A comentarista política Ana Paula Henkel [foto] obteve vitória na Justiça e conseguiu direito de resposta nas plataformas do Grupo Globo. A colunista da Revista Oeste processa o ex-atleta Walter Casagrande e o veículo de comunicação por um artigo insultuoso publicado no portal globoesporte.com. Com a decisão, a Globo terá de garantir o direito de resposta a Ana Paula.

Segundo o juiz Christopher Alexander Roisin, da 14ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, a ex-atleta teve a honra ferida por um texto publicado por Casagrande. Na ocasião, o comentarista esportivo acusou Ana Paula de ser “defensora de tudo o que é ruim no país”.

O magistrado não aceitou o argumento da Globo, que afirmava já ter publicado, na íntegra, o pedido de resposta de Ana Paula em março de 2021, aproximadamente um mês depois do texto escrito pelo ex-jogador de futebol.

Conforme a decisão, a resposta publicada no globoesporte.com não teve a mesma publicidade que a opinião de Casagrande — o texto de Ana Paula não foi divulgado nas mídias sociais da emissora, diferentemente do que ocorreu com o artigo escrito pelo ex-jogador.

A Globo foi condenada a ceder o direito de resposta nos mesmos espaços, dia da semana e horário em que a opinião de Casagrande foi publicada. A Justiça definiu, ainda, o prazo de 30 dias para alguma das partes manifestar-se sobre a condenação — caso a Globo não recorra, a decisão será mantida.

Confira a nota escrita por Ana Paula Henkel

“Em 21 de fevereiro de 2021, recebi inúmeras mensagens de amigos alertando que eu havia sido vítima de ataques praticados pelo Sr. Walter Casagrande Júnior contra minha honra e minha imagem em sua coluna semanal publicada no sítio eletrônico do Globo Esporte.

Dentre as várias ofensas, chamou-me de ‘uma pessoa intragável, prepotente, arrogante, defensora de armas, que se disfarçou de jogadora de vôlei…’.

Não contente em me atribuir adjetivos infamantes, arrematou o ataque conclamando seus leitores a esquecerem ‘que dentro do esporte existiu criatura como essa’, novamente dizendo que sou ‘defensora dos violentos, dos antidemocráticos, das armas e de tudo que é ruim em nossa sociedade’.

Sem apresentar qualquer argumento contra minhas ideias, preferiu apelar ao achincalhe e a uma tentativa torpe de assassinar minha reputação. Participo do debate público já há bastante tempo e jamais me neguei a dialogar com meus interlocutores, sempre com respeito e fundamentadamente.

Surpreendida com as ofensas, solicitei à Rede Globo que publicasse meu direito de resposta, previsto no art. 5º, inciso V, da Constituição Federal. Publicaram a resposta como se fosse uma mera carta em página avulsa do site Globo Esporte, descumprindo a Lei de Direito de Resposta, que obriga que as respostam sejam publicadas com o mesmo destaque do texto ofensivo.

Recorri, então, por meio de meus advogados, Lucio Hoffmann, Júlio César Moraes dos Santos e Frederico Junkert, do Hoffmann e Moraes Advogados, ao Poder Judiciário para que me fosse reconhecido o direito de resposta a ser exercido nos exatos moldes garantidos pela lei.

Ontem, 12 de julho de 2021, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, por meio do juiz Christopher Roisin, reconheceu que fui ofendida pelo Sr. Casagrande e que a Rede Globo não cumpriu a Lei de Direito de Resposta.

Com essa decisão, ficou claro que o debate democrático jamais pode servir de instrumento à propagação de ofensas.

Por fim, tenho a certeza de que, para o crescimento da sociedade, é imprescindível promover o livre debate de ideias e conceitos, respeitadas a dignidade da pessoa humana, a imagem e a honra alheia.” 

Título e Texto: Edilson Salgueiro, revista Oeste, 13-7-2021, 21h43

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-