sexta-feira, 7 de janeiro de 2022

Twitter derruba conta da mãe de Bruno Graf, jovem que morreu depois de tomar a vacina da AstraZeneca

Arlene Ferrari também tem sofrido punições do Facebook, Instagram e YouTube desde que começou a falar sobre o filho

Cristyan Costa

O Twitter suspendeu nesta sexta-feira, 7, a conta da mãe de Bruno Graf [foto], jovem que morreu devido a complicações da vacina da AstraZeneca. Arlene Ferrari confirmou a informação à Revista Oeste após o ocorrido.


Segundo ela, o Twitter não enviou nenhuma justificativa sobre os motivos pelos quais a conta foi suspensa. Os quase 30 mil seguidores que Arlene tinha na rede social sumiram com a iniciativa da big tech.

Arlene usava o perfil na rede social para contar a história de Bruno Graf e pedir esclarecimentos sobre a morte do filho, que não tinha histórico de problemas de saúde, mas faleceu em decorrência de um AVC ao tomar a vacina.

mãe tem um exame que comprova o óbito do jovem devido à vacina. Conforme noticiou a Revista Oeste, o caso chegou a ser reconhecido pela Secretaria Estadual de Saúde de Santa Catarina. Bruno era de Blumenau (SC).

Cerco das big techs à mãe de Bruno Graf

Além do Twitter, Arlene relatou ter tido problemas com outras redes sociais. No Facebook, por exemplo, ela possui dois perfis e está atualmente bloqueada, sem poder publicar por pelo menos 30 dias.

No Instagram, que também pertence ao grupo Meta/Facebook, Arlene disse que ainda consegue fazer postagens, mas outros usuários não conseguem marcar seus posts nas redes sociais para ajudar no tráfego.

Até no YouTube, em que abriu uma conta recentemente, já sofreu as primeiras punições. Em menos de 24 horas, um de seus vídeos sobre os imunizantes foi removido pela big tech quando já tinha mais de 2 mil visualizações.

Título e Texto: Cristyan Costa, revista Oeste, 7-1-2022, 13h40

Relacionados: 
Caso Bruno Graf: mãe afirma que está sendo vítima de linchamento na internet desde a morte do filho 
As diretrizes da comunidade 
Mapeamento dos deputados (SP) sobre o PL Bruno Graf A fábula do lobo e o passaporte vacinal
Hora do Strike: Bolsonaro e a Medida Provisória contra o passaporte sanitário
Para a hipocrisia não há vacina
Certificado da nossa decadência 

Um comentário:


  1. Cláudio Humberto
    @ColunaCH

    9 h
    Só para pontuar: Ex-deputada distrital, Sandra Faraj levantou um ponto pertinente sobre a discussão atual. “Exigir passaporte sanitário num país onde o esgoto corre a céu aberto é ser no mínimo um tremendo cara-de-pau”, disse. #ColunaCH #DiarioDoPoder

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-