quinta-feira, 26 de janeiro de 2023

[Daqui e Dali] Descaramento

Humberto Pinho da Silva

Quando meu pai resolveu realizar a exposição dos seus quadros, uma senhora amiga, muito rica, encontrou-o no Passeio das Cardosas [foto, 1890], e após o formalismo da praxe, disparou:

- Quando faz a exposição? Avise-me para a ver!

- Estou a fazer aguarelas e desenhos para ela!

--Pinta só a aguarela?!

- Sim! Deixei de pintar a óleo há muitos anos. Não gosto do óleo, mas da luz e da cor da aguarela, como Daniel Constant. É uma festa, para os olhos!

- Bem, bem, estou ansiosa de ver essa exposição, até preciso de um bom quadro.

Meu pai agradeceu o elogio e a preferência, talvez prevendo possível comprador.

Mas a senhora continuou muito interessada:

- Tem de me dar um dos seus quadros!

Meu pai sorriu contrafeito e tentou desembaraçar-se da "simpática" senhora, que se declarou conhecedora de arte, tecendo pictóricas opiniões. Já na despedida, voltou à carga:

- Não se esqueça de me ofertar o quadro! Que não esqueça!

Afasta-se um pouco, e volvendo, diz, em alta voz:

-Ah! Já me ia esquecendo, que seja a óleo. Sim! É que para o ambiente de minha casa, com marfins, tapetes... o quadro tem de ser a óleo!

A mim aconteceu, também, caso semelhante.

Entrevistei poetisa. Recebeu-me festivamente numa mesa recheada de vistosos bolos. Servido o chá, realizei a entrevista de gravador em punho.

Decorrido uma semana, soou o telefone. Era ela, dizendo que acabara de editar um livro seu, e mo ia enviar, contra-reembolso.

Desculpei-me, argumentando que não podia comprar os livros e os quadros de todos que entrevistava.

- Mas, são só vinte euros!... Não me diga que não tem vinte eurinhos!?...

Ficou amuada e deixou de me chamar "ilustre" jornalista, coisa que não me preocupou, porque sou tudo, menos ilustre...

Há pessoas de inaudito descaramento. Uma, queria um quadro de graça; outra desejava vender um livro por vinte euros!...

Título e Texto: Humberto Pinho da Silva, janeiro de 2023

Anteriores: 
Que mal fizeram os professores? 
Como conheci o principezinho loiro 
"Virar a casaca" 
Achegas para um casamento feliz 
A ingratidão dos filhos 
Quem pertence à classe média? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-