domingo, 8 de janeiro de 2023

Morre Roberto Dinamite; perdemos o nosso maior ídolo

Roberto Dinamite foi revelado pelo Vasco da Gama, onde se tornou ídolo como jogador. Ele também foi presidente do Clube

Anderson Montalvão

Morreu neste domingo o maior ídolo da história do Vasco. Roberto Dinamite faleceu, às 10h50, aos 68 anos. Ele vinha lutando contra um tumor no intestino desde o fim de 2021, teve uma piora no quadro e foi internado neste sábado, no hospital da Unimed, no Rio de Janeiro.

Carlos Roberto Gama de Oliveira nasceu em 13 de abril de 1954, em Duque de Caxias (RJ). Mas Roberto Dinamite veio ao mundo em 25 de novembro de 1971, no Maracanã. Foi neste dia que o atacante, então aos 17 anos, recebeu o apelido que marcou sua trajetória depois de marcar seu primeiro gol pelo Vasco, na vitória por 2 a 0 sobre o Internacional. A manchete do Jornal dos Sports do dia seguinte foi a certidão de batismo: “Garoto-dinamite explodiu”.

Este foi o primeiro dos 708 gols de Roberto em 1.110 jogos pelo Vasco. O primeiro dos 190 gols marcados no Campeonato Brasileiro, marca que até hoje ninguém alcançou. Este foi também apenas o primeiro dos muitos capítulos marcantes do ídolo com a camisa cruzmaltina.

Com o Vasco, Roberto conquistou um Campeonato Brasileiro (1974) e cinco Campeonatos Cariocas (1977, 1982, 1987, 1988 e 1992).

Mas não são apenas títulos que contam a relação de Roberto Dinamite com o Vasco. Há episódios históricos como a volta do ídolo ao clube, em 1980, após uma breve passagem pelo Barcelona. Num Maracanã com 100 mil pessoas, ele marcou todos os gols do Vasco na vitória por 5 a 2 sobre o Corinthians.

Roberto também teve breves passagens pela Portuguesa, em 1989, e pelo Campo Grande, em 1991, antes de retornar ao clube do coração para encerrar a carreira em fevereiro de 1993 num amistoso entre Vasco e La Coruña, da Espanha, no Maracanã. Naquele dia, Zico, ídolo do rival Flamengo, vestiu a camisa cruzmaltina para homenagear o amigo.

Depois de deixar os gramados, foi a vez de Roberto Dinamite reencontrar o Vasco no gabinete. Numa disputa política polêmica, ele foi eleito presidente em 2008 e logo teve lidar com o primeiro rebaixamento da história do clube. No ano seguinte, a equipe conquistou o título da Série B do Brasileirão, e em 2011 alcançou o inédito título da Copa do Brasil. Em 2013, entretanto, o Vasco caiu novamente para a Segunda Divisão, e Roberto encerrou seu segundo mandato no ano seguinte.

Mas Roberto Dinamite nunca deixou de ser ídolo do Vasco. Prova disso é que, em outubro de 2021, um programa de financiamento coletivo arrecadou, em menos de seis horas, R$ 190 mil para a construção de sua estátua em São Januário. O monumento foi inaugurado em 28 de abril deste ano, com uma grande festa.

Duas Copas do Mundo

Roberto Dinamite marcou 26 gols com a camisa da seleção brasileira. Ele foi titular e artilheiro da Seleção em 1978, na Copa da Argentina – marcou três gols em cinco jogos. Mas foi reserva com Telê Santana na Copa de 1982. Sem entrar em campo.

Ele também foi artilheiro da Copa América de 1983 – com três gols. O Uruguai foi o campeão naquela edição e o Brasil terminou em segundo lugar.

Gols na carreira

·         Vasco da Gama: 708 gols

·         Seleção Brasileira: 26 gols

·         Barcelona: 3 gols

·         Portuguesa: 11 gols

·         Amistosos: 36 gols

·         Total: 784 gols

Títulos pelo Vasco

·         Campeonato Brasileiro: 1974

·         Campeonato Brasileiro de seleções estaduais: 1987

·         Campeonato Carioca: 1977, 1982, 1987, 1988 e 1992

·         Taça Guanabara: 1976, 1977, 1986, 1987, 1990 e 1992

·         Taça Rio: 1975, 1977, 1980, 1981, 1984 e 1988

·         Copa Rio: 1984, 1988, 1992

·         Torneio do Bicentenário dos Estados Unidos: 1976

·         Copa Rio Branco: 1976

·         Taça Oswaldo Cruz: 1976

·         Copa Atlântica: 1976

·         Torneio Quadrangular do Rio: 1973

·         Copa da cidade de Sevilla (Espanha): 1979

·         Torneio Colombino Huelva (Espanha): 1980

·         Copa Manauense: 1980

·         Troféu da cidade de Funchal (Portugal): 1981

·         Copa João Havelange: 1981

·         Torneio Verão: 1982

·         Troféu Ramon de Carranza: 1987 e 1988

·         Copa de Ouro: 1987

·         Copa do Rei Pelé: 1991

Conquistas pessoais

·         Bola de Prata da Revista Placar: 1979, 1981 e 1984

·         Artilheiro do Campeonato Brasileiro: 1974 (16 gols) e 1984 (16 gols)

·         Artilheiro do Campeonato Carioca: 1978 (19 gols), 1981 (31 gols) e 1985 (12 gols)

·         Artilheiro da Copa América: 1983

Estatísticas

·         Temporadas em que atuou: 22

·         Jogos pelo Vasco: 1.110 (recorde)

·         Maior Artilheiro em Campeonatos Brasileiros: 190 gols

·         Maior Artilheiro do Campeonato Carioca: 279 gols

·         Maior Artilheiro em São Januário: 184 gols

·         Primeiro jogo: Vasco 0 a 1 Bahia (Campeonato Brasileiro, 14 de Novembro de 1971, Fonte Nova)

·         Primeiro gol: Vasco 2 a 0 Inter-RS (Campeonato Brasileiro, 25 de Novembro de 1971, Maracanã).

·         Último jogo: Vasco 0 a 2 Deportivo La Coruña (Espanha) (Amistoso, 24 de Março de 1993, Maracanã).

·         Último gol: Vasco 1 a 0 Goytacaz (Campeonato Carioca, 26 de outubro de 1992, São Januário).

Fonte: Globo Esporte

Título e Texto: Anderson Montalvão, Vasco Notícias, 8-1-2023, 11h56

Acompanhe a repercussão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-