domingo, 11 de abril de 2021

Por “liberdade”, manifestantes se reúnem em carreata na Afonso Pena

Centenas de carros e três caminhões de som participam do protesto neste domingo

Alana Portela e Ana Paula Chuva

Em busca da “liberdade”, manifestantes se reúnem nesta manhã para a “Marcha da Família Cristã”, em Campo Grande (Mato Grosso do Sul). A concentração começou por volta das 8h de hoje e contava inicialmente com cerca de 500 carros que tomaram conta da rotatória da Avenida Mato Grosso. A fila se estende até à Avenida Afonso Pena e também ocupa as ruas laterais das avenidas, no entanto, mais veículos foram se juntando quando a carreata começou por volta das 9h10.

“A gente espera milhares de carros. Temos um contador e no final da carreata vamos ter o número quase exato. [Como] cristãos brasileiros estamos nos posicionando, pois queremos a liberdade, o direito de processar nossa fé, queremos o direito constitucional de ir e vir, direito ao trabalho. É por isso que estamos aqui”, afirma a coordenadora municipal da marcha, a médica Sirley Ratier.

A marcha deve ocorrer em vários lugares do país, com o mesmo propósito, a liberdade. Desde as 8h não para de chegar carros que vão se posicionando na carreata que começou às 9h10. Além dos veículos, a manifestação ainda conta com três caminhões de som para o percurso que é na Avenida Afonso Pena.

A carreata segue no sentido do aeroporto de Campo Grande, contudo, dependendo da manobra de um dos caminhões do som, a carreata deve virar na Avenida Lúdio Martins Coelho ou voltar ao ponto de partida.

Três grupos pró-bolsonaro participam da carreata. “Temos o Fora Corrupto, QG Voluntários de Bolsonaro e Pátria Livre”, diz Sirley. Além deles ainda têm os integrantes das igrejas católicas e evangélicas. “Temos entidades religiosas dando apoio”, completa.

“O Brasil é um país 90% cristão, não dá para aguentar o que está sendo feito”, declara a coordenadora da marcha.

Nos altos da Afonso Pena ainda foram montadas barracas, onde estavam sendo vendidas camisetas com estampas “Deus, pátria, família e liberdade” e garrafas de água para os manifestantes. Durante a carreata, alimentos e produtos de higiene estão sendo arrecadados pela organização da marcha.

“Temos brasileiros passando fome, isso não tem cabimento, pedimos por liberdade e direito de trabalhar para sustentar a família. Viemos lutar pelo direito do trabalho, angariando cesta básica, alimentos para distribuir às famílias carentes”, declara a coordenadora

Na carreata, os manifestantes carregaram uma faixa com a frase “Trabalho é vida, lockdown é morte”. Os protestantes ainda levaram várias bandeiras do Brasil para exibir durante o percurso.

A manifestação deve continuar até às 10h, com buzinaço na principal avenida de Campo Grande.

Título e Texto: Alana Portela; Imagens; Ana Paula Chuva, CAMPO GRANDE NEWS, 11-4-2021, 9h41

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-