sexta-feira, 11 de junho de 2021

[Foco no fosso] Embromações - capítulo 2

Haroldo Barboza

Nos primórdios de 1700, passamos pela gloriosa “independência”, proclamada às margens do rio Ypiranga (ou um riacho afluente?), através de um grito (ou um comunicado verbal?) com meia centena de testemunhas fardadas. Um evento de 10 minutos, no máximo.

Desta forma, as populações não tiveram histórias para contar aos seus herdeiros, sobre batalhas épicas com o sacrifício de nativos patriotas lutando durante anos para expulsar os vilões estrangeiros que além de explorar nossas terras, nos tratavam como tolos deslumbrados.  

Tais batalhas extensas, contadas oralmente através de décadas às gerações subsequentes, é que forjam o espírito de orgulho que deveríamos possuir pela nação, para que fosse possível ficarmos REALMENTE indignados com as falcatruas hoje praticadas pelos herdeiros ilegais do poder contra a população que não tem a quem idolatrar nem autoridade para confiar.  

Fatos relatados em livros editados sob supervisão de quem se perpetuou no comando por décadas, certamente não revelará os motivos reais que basearam os acordos para a anulação do domínio vigente à época.  

Seria uma mera fachada com interesses comerciais do momento? Teria sido inventado o "caixa 2" nesta ocasião?

Título e Texto: Haroldo Barboza, 11-6-2021

Anteriores: 
Embromações - capítulo 1 
SUBJUGAÇÃO – parte 10 – provável futuro 
SUBJUGAÇÃO – parte 9 – esgotamento dos recursos naturais 
SUBJUGAÇÃO – parte 8 – guerras lucrativas 
SUBJUGAÇÃO – parte 7 – falências controladas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-