sábado, 5 de junho de 2021

[Versos de través] Aqui morava um rei

Ariano Suassuna 

Aqui morava um rei quando eu menino 
Vestia ouro e castanho no gibão, 
Pedra da Sorte sobre meu Destino, 
Pulsava junto ao meu, seu coração. 

Para mim, o seu cantar era Divino, 
Quando ao som da viola e do bordão, 
Cantava com voz rouca, o Desatino, 
O Sangue, o riso e as mortes do Sertão. 

Mas mataram meu pai. Desde esse dia 
Eu me vi, como cego sem meu guia 
Que se foi para o Sol, transfigurado. 

Sua efígie me queima. Eu sou a presa. 
Ele, a brasa que impele ao Fogo acesa 
Espada de Ouro em pasto ensanguentado.


Título e Texto: Ariano Suassuna


Anteriores: 
Mulher proletária 
O Relógio 
Bem no fundo 
Cobra Norato (trecho da obra) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-