sábado, 14 de janeiro de 2023

[Versos de través] Amor é fogo que arde sem se ver

Luís Vaz de Camões

Amor é fogo que arde sem se ver, 
é ferida que dói, e não se sente; 
é um contentamento descontente, 
é dor que desatina sem doer. 

É um não querer mais que bem querer; 
é um andar solitário entre a gente; 
é nunca contentar-se de contente; 
é um cuidar que ganha em se perder. 

É querer estar preso por vontade; 
é servir a quem vence, o vencedor; 
é ter com quem nos mata, lealdade. 

Mas como causar pode seu favor 
nos corações humanos amizade, 
se tão contrário a si é o mesmo Amor


Luís Vaz de Camões, 1524-1580

Anteriores: 
Feliz Natal! 
“O Pão Maldito”, de Guy de Maupassant (poema traduzido) 
The sorrow of love 
Eu sei que vou te amar 
Sobre um poema 
A velhice 
Tristeza 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-