sexta-feira, 17 de agosto de 2018

[Aparecido rasga o verbo] Os ratos em seus labirintos

Aparecido Raimundo de Souza

Embora os ratos vivam com elevado conforto, nós também fazemos parte da família desses roedores, notadamente porque ao invés de sermos seus maiores predadores, nos deixamos ser caçados por eles”. 
Tompson de Panasco

A CIDADE DOS RATOS existe? Existe! E não é nenhuma Ratópolis como fizeram crer na imaginação daquele prisioneiro condenado a cadeira elétrica que mantinha um ratinho (Senhor Singli) no inesquecível filme “À espera de um milagre”. Ratópolis está aqui mesmo, incrustrada no Brazzil, ou mais precisamente no Planalto Central. A Latrina do Mundo.

Devemos lembrar, foram os próprios camundongos dessa imensa ratoeira que batizaram esse lugar com outro nome mais social e aprazível, para não deixar patentemente sedimentada e a céu aberto, o covil onde eles vivem em ordenada irmandade, como se fossem uma grande sociedade de roedores.  Aliás, ratificando, SÃO ROEDORES.

Os ratos, para os que estão chegando agora são pequenos seres aparentemente inofensivos, porém, malfeitores amaldiçoados que podem transmitir vários tipos de doenças (quarenta, para sermos mais precisos). Vamos enumerar apenas algumas, para não nos tornarmos chatos e cansativos.  Nesse rol temos a leptospirose, a peste bubônica, o tifo murino, a sarna, a triquinose, a salmoneloses, a micose, a hantavirose, a febre de mordida de rato, a raiva e etc.

No nosso meio esses devastadores têm nomes engalanadores e americanizados: Michel Jackson Temer, por exemplo, é um rato que causa a leptospirose irreversível, ou seja, uma infecção muito forte acarreada por uma bactéria em forma de saca-rolhas cognominada de leptospira.

Geralmente essa desventura aparece em ocasiões eleitoreiras, em forma de quadrúpede humano. É uma das poucas pragas rastejantes que tem vida própria, fala bonito (imaginem!) e se sabatinado, arranja respostas para tudo. Na ponta da língua. Nascido em Tietê, interior de São Paulo, migrou para o Urinol Brazzília e de lá se propagou para os palácios transformando-os em verdadeiras pocilgas.

Nesse chute no saco, os cientistas descobriram outra roedora conhecida nos meios políticos como Dilma Rousseff ou Dilma Rouboussett. Cresceu e se desvirginou em Belo Horizonte. Tem vida longa e segundo pesquisas consegue viver mais de oitenta anos, principalmente se conseguir mamar indefinidamente nas tetas gordas mantidas pelo povinho.

Como os percevejos (parentesquelhadas com a linhagem das heteropteranas), se criam com facilidade nas bundas das elefoas e alias. Essa peste bubônica, ainda que acometida ou ameaçada com chutes no traseiro, não desiste. Sobrevive graças aos imbecis e abajoujados de plantão. Sua maior arma, a salmoneloses. 

É considerada uma coisa impossível de ser debelada, portanto, incurável. Alertam os entendidos, pior que o câncer, é o que fica “a depois” o tifo murinho ou murino (corriqueiramente apelidado de mal-cheiroso, fedido, tipo inhaca que adere à pele e não desgruda nem por reza braba). Em outras palavras, “uma murrinha”. Adora o Bispote do Mundo, e se duvidar, é capaz de morrer para conseguir seus intentos.

Outro mal do século sem cura prevista se agiganta de forma devastadora. E se prolifera como formigas e piolhos. É conhecido como Luiz Inácio Lula da Silva, ou Triquinose de metalúrgica. A Triquinose de metalúrgica causa sérios e atípicos aborrecimentos, como dores de cabeça e enxaquecas notadamente para os Sergios e Moros além de ser uma ameaça constante identificada como PT, ou (Peste Terminal). Geralmente entra de fininho na corrente sanguínea dos trabalhadores, notadamente naqueles beócios e caramutanjes que não enxergam um palmo adiante do nariz.

Em tombos e cambalhotas paralelos existe uma família de roedores cognominada Ciro Gomes. Natural dos arredores de Pindamonhangaba, interior de São Paulo, essas criaturas atacam as pessoas de PDT (Partido dos Trapaceiros). O rato que encabeça esse bando criou vida no Ceará em face do clima ser favorável à sua evolução, embora tenha vindo, por descuido, de Harvard, ou mais precisamente de Cambridge Massachusetts, nos Estados Unidos. É o responsável direito pela hantavirose.

É um espécime de destruidor sacana. Transmite, no mesmo esbofetear, a coceira do desassossego que, por sua vez, ataca as partes dos baixos fodetórios.  Ficou conhecido esse malefício incomodativo como escabiose ou sarna.   Nessa linhagem temos ainda uma ratona de esgoto menos perversa. Não fede nem cheira, embora dê um trabalho danado deixando muitos boçais com pulgas atrás das orelhas.

Não existe nada mais degradante e ignominioso que rato (ou rata) com um punhado de pulgas atrás das orelhas. Sinalizamos claro, a acreana de Rio Branco, Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima. Essa roedora não causa doenças em suas gentalhas e gentinhas, a não ser amolações diversificadas para a sua xispófica e baguistal figura. Catarina, desculpem caríssimos, Marina morde e assopra, bafeja, arqueja nada, nada, e acaba morrendo na praia. Seria, grosso modo, a febre de mordida de um ratazana insociável ou inconsolável.

Temos, ainda, outras linhagens de mamíferos roedores, como o lemmini Alvaro Dias do PP (sigla que significa “Podemos ou não Podemos?”), Cabo Daciolo (que se diz Patriota), Geraldo Aquitem... tem o quê?! (perdão Alckmin), Guilherme Boulos que deu bolos de limão para a galera do MTST, ou (Muitas Tramoias Sem Testemunhas), Henrique Meirelles, do MDB (Mordo e Distribuo Bordoadas). Esses costumam deixar sequelas de leptospirose.

Na cola desses, o murídeo engravatado e bravateiro Jair Bolsonaro, do PSL (Partido dos Sem Lucro), João Amoêdo (ou sem medo) do PN (Partido dos Nazarenos), João Goulart Filho, do PPL (Pegarei o País na Laçada), José Maria Eymael do DC (Darei Cambalhotas) e a operária sapateira Vera Lúcia, do PSTU (Pregarei Sapatos com Tachinhas Usadas), que prometeu se eleita for, distribuir sapatos de cristal para todos os brasileiros que estiverem com os pés na merda, perdão, senhores, no chão. Nessa leva, as pessoas precisam ser prevenidas da micose e da sarna.

Os demais cricetídeos ou os demais ratos prontos para a corrida desenfreada pela cadeira lambuzada do poder já foram mencionados. No geral, toda essa cambada de espertalhões, ratos velhos, ratos novos, ratinhos e ratos-caseiros, na verdade, sem tirar nem por, estão de olhos arregalados, quase esbugalhados a saltarem das fuças objetivando não o bem geral da nação, ou da plebe sofrida. Trazem nos dentes a febre hedionda do desejo sádico da mordida na Faixa Presidencial.

É bom avivar a memória dos esquecidos. Apenas e tão somente essas pragas almejam os seus umbigos, ou dito de modo mais direito e reto, os frontispícios de governar a “rataiada” doméstica do Epicentro dessa chafurdosa republiqueta de safados e ladrões da pior espécie.

O que nos causa espanto e tristeza, assombramento e boquiabertismo nessa putaria sem precedentes, é sem dúvida alguma, um certo e asqueroso “candidato” condenado por corrupção conseguir registrar a sua candidatura. Na ficha de ingresso desse vagabundo, não outro senão o Lula está bem cristalinizada a sua profissão: “toureiro mecânico”.

Daí, como tal, o crápula (desde que foi preso, em 7 de abril de 2018), seguir em frente dando chifradas a torto e a direito. E atentem para uma curiosidade quase sexual. O elemento não pára, tampouco a sua sandice. Senão vejamos. Patrimônio declarado: sete novecentos e oitenta e oito milhões de reais, tudo, claro, em GVBL. Para quem nunca ouviu falar, GVBL, se traduz por “Vou Governar o Brasil em total Libertinagem”.

Atentem outro lado da moeda para um detalhe importante. Todos os demais candidatos à Casa da Mãe Joana, possuem patrimônio pequeno, em vista do que foi informado à “JUSTICORTIÇA E$L$E$I$T$O$R$A$L” pelo ilustre “dezenove dedos”. Na verdade, caros leitores e amigos, Lula quer ter um bom lugar a futuro próximo para gozar da nossa estupidez e estultícia, quando se afastar dos afazeres políticos domésticos.

Por tudo o que dissemos, se o nosso país fosse de verdade, um país sério e não de brincadeira, esse registro fajuto do Petista de São Bernardo seria encarado pela justiça de bosta, não como uma simples IMPUGNAÇÃO, porém, como TOTAL IMPOSSIBILIDADE DE CANDIDATURA, vez que o “pilantra” se viu condenado no Colegiado Maior (ou seria Colegicagado Maior??!!) por  12 anos e 1 mês por  lavagem de dinheiro.

Não fosse pouco, na hora do barbicóximo registro desse cancro estavam presentes à solenidade, a rata de esgoto Gleizi Hoffmann, a chutada no rabo Dilma Rouboussett, o Fernando Haddad e a biscófila Manuela D’Ávila. No mesmo bafafá, em apoio ao cachaceiro, cerca de dez mil manifestantes do MST (Movimento dos Safados e Trombadinhas) chafurdavam iguais porcos nas barbas do STE (Superior Tribunal de Enroladores).

Entendemos que essa balbúrdia acontecida no imenso Avião Pousado deveria ser encarada pelos “homens sérios da lei, kikikikiki”, e pela multidão, sobretudo pela multidão, como APOLOGIA AO CRIME, levando em consideração que todos esses girafales e arrelias sem exceção, manifestaram publicamente adesão a um picareta sentenciado por atos contrários à vitalidade da democracia. Igualmente aos pilares sustentadores das instituições constituídas.

Mesma pescoçada da girafa, se o país fosse sério, BEM AINDA DE VERGONHA O SEU POVO, tal ato deveria, de pronto, dar ênfase a uma COMOÇÃO NOS MOLDES DE ELEVAÇÃO À REPÚDIO NACIONAL. Não foi, entretanto, o que esperávamos. Tampouco, na realidade, o que aconteceu. Por derradeiro, todo o acima exposto tinha um só objetivo.  Acreditamos tê-lo alcançado. Precisávamos deixar registrada a NOVA LEVA de ratos e roedores que continuarão se procriando Brazzil a fora. E mais doenças causadas por eles aparecerão nos pegando, como sempre, de calças curtas, cuecas e calcinhas nas mãos.
Título e Texto: Aparecido Raimundo de Souza, jornalista. De Brasília Distrito Federal. 17-8-2018 

Colunas anteriores:

Um comentário:

  1. Sempre um prazer ler seus textos Aparecido sao impecáveis. Você nos mostra a dura realidade que vivemos com esses ratos de Brasília e seus conchavos em nosso Brasil afora
    Mas ler sobre esses ratos de governo, me deixa enojada, saber que tem gente que adoram essas pragas, que estão cada vez mais se reproduzindo. Não entendo como podemos nos compactuar com esses bandidos safados, mesmo que não votemos, mesmo que briguemos ,somos minoria, porque a cada momento, a cada notícia, observo em todas Áreas de comunicações pessoas defendendo essas corjas, esses bandos de ratos que contaminam nossa sociedade. De alguma forma fazemos parte, mesmo que indiretamente. Parabéns pelo excelente texto. Carla

    ResponderExcluir

Por favor, evite o anonimato! Mesmo que opte pelo botãozinho "Anônimo", escreva o seu nome no final do seu comentário.
Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente.
Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-