terça-feira, 13 de abril de 2021

‘Supremo dá cavalo de pau jurídico a cada mês’, diz senador

Plínio Valério criticou decisões individuais de ministros e afirmou que a Corte está acostumada com a prática

Afonso Marangoni

Em meio às discussões sobre a instalação da CPI da Covid, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) [foto],  defendeu que o Supremo Tribunal Federal não tem legitimidade para mandar no Senado. Ele disse que a decisão monocrática de Barroso de instaurar a comissão é “impensada, ilógica e insensata”.

Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Plínio Valério criticou as decisões individuais de ministros e disse que o Supremo está acostumado com a prática. “A sorte do Senado é que não sou o presidente, porque eu simplesmente não cumpriria, por não reconhecer, repito, legitimidade neste Supremo”.

O senador foi além e disse que a Corte “dá cavalo de pau jurídico a cada mês e que tem uma jurisprudência flutuante, que tudo é ao bel-prazer”. Valério pontuou que o Congresso é culpado por obedecer aos ministros “que pensam que são semideuses e não são”.

Ele também apontou contradição do Supremo ao proibir cultos e missas e liberar a CPI, que, para funcionar, precisa de um número elevado de pessoas.

Título e Texto: Afonso Marangoni, revista Oeste, 13-4-2021, 17h55

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-