terça-feira, 13 de abril de 2021

Com gol cinematográfico, FC Porto se despede da Liga dos Campeões (da Europa)

Pois é, o futebol comprova a tese de que mais do que eficiência é imprescindível a eficácia – e a sorte, como em tudo na vida. Foi o que Chelsea teve no primeiro jogo ao marcar por duas vezes ao FC Porto.

Neste segundo jogo, o FC Porto jogou muito bem, mas faltou o que sobrou ao Chelsea no primeiro jogo.

Os torcedores mais dedicados dirão amanhã que o FC Porto caiu de pé. Sim. Mas cair de pé ou sentado, não impede o tombo.

Mas que foi um pé do c…o, aos 93', do Taremi, lá isso foi! Com certeza! Confira:

2 comentários:

  1. Acabou-se o sonho da Liga dos Campeões para o Futebol Clube do Porto após mais uma exibição que só pode deixar orgulhosos os portistas. A Mariana Fernandes conta que as duas mãos dos quartas-de-final foram 180 minutos à Sérgio em que só faltou o que não se compra: a fortuna. Para a história fica a excelente prestação dos dragões e o golo de bicicleta de Taremi. Resta ao FC Porto pedalar para apanhar o Sporting no campeonato português, que está a seis pontos.
    Leia aqui

    ResponderExcluir
  2. FC Porto voltou a ser superior ao Chelsea e venceu por 1-0, mas o resultado não foi suficiente para dar a volta à eliminatória europeia
    O FC Porto sai de cabeça erguida da edição 2020/21 da Liga dos Campeões. Na segunda mão dos quartos de final da maior prova de clubes do mundo, os Dragões superiorizaram-se novamente ao Chelsea em Sevilha e triunfaram por 1-0 graças a um golaço de Mehdi Taremi. Depois da injusta derrota por 0-2 nos primeiros noventa minutos Estádio Ramón Sánchez-Pizjuán, os campeões nacionais tornaram a mostrar argumentos suficientes para justificar a passagem às “meias”, contudo ficou a faltar somente golo para levar o embate para prolongamento e continuar a sonhar com a remontada.

    Com três mudanças no onze que havia entrado em campo menos de 72 horas antes, em Tondela, – e uma relativamente à equipa inicial da passada quarta-feira – os azuis e brancos entraram extremamente pressionantes e encostaram, desde logo, o Chelsea às cordas. Na primeira ocasião em que os londrinos passaram do meio-campo com a bola controlada, só um grande corte de Mbemba impediu novo golo do carrasco Mason Mount. Pouco depois, e após mau passe de Mendy para Jorginho, Tecatito Corona impediu a saída de bola inglesa e podia ter inaugurado o marcador. Enquanto o imponente e reforçado setor intermédio portista dominava por inteiro o meio-campo, Corona ganhou a frente a Chilwell, mas a definição voltou a não ser a ideal e o tiro saiu demasiado alto. Instalado no terreno adversário - e com Marko Grujic a limpar tudo pelo ar e pelo chão - o FC Porto era, nesta altura superior ao Chelsea há mais de duas horas.

    O figurino manteve-se no regresso das cabines: os comandados de Sérgio Conceição tinham mais bola e o omnipresente N’Golo Kanté garantia a vantagem nos duelos necessária para que os de Thomas Tuchel mantivessem intacta a diferença de dois golos. Para lá da hora de jogo, o timoneiro da Invicta reforçou a presença portista no último terço com a entrada de Mehdi Taremi para o lugar de Marko Grujic. Dois minutos depois, Otávio soltou em Corona, que por sua vez descobriu Taremi na marca de penálti. A tentativa do iraniano saiu com a direção certa, mas a força errada, e Mendy segurou o nulo. À entrada para o derradeiro quarto de hora da eliminatória, Nanu, Luis Díaz e Evanilson renderam Manafá, Corona e Marega e a partir daí o Chelsea aproveitou todas as oportunidades de que dispôs para perder tempo. De seguida, numa solução ofensiva de último recurso, Fábio Vieira substituiu Sérgio Oliveira e Marchesín continuava imperturbável na baliza lusa. O melhor estava mesmo guardado para o fim: no penúltimo minuto do tempo de compensação, Mehdi Taremi marcou um dos melhores golos da atual edição da Champions, ao concretizar um espetacular pontapé de moinho que garantia a vitória do FC Porto. Segundos antes do apito final, Thiago Silva e Rudiger derrubaram Evanilson dentro da área britânica, porém o juiz Clément Turpin nada assinalou. Os Dragões acabaram eliminados da liga milionária pela margem mínima (1-2) e viram definitivamente o foco para a luta pela revalidação do título nacional.
    FC Porto, 13-4-2021, 22h32

    ResponderExcluir

Não aceitamos/não publicamos comentários anônimos.

Se optar por "Anônimo", escreva o seu nome no final do comentário.

Não use CAIXA ALTA, (Não grite!), isto é, não escreva tudo em maiúsculas, escreva normalmente. Obrigado pela sua participação!
Volte sempre!
Abraços./-